Transporte na Europa: qual a melhor opção?

Transporte na Europa: qual a melhor opção?

19.02.2020

Minha primeira eurotrip foi há 15 anos, num mochilão que durou 30 (memoráveis) dias (da minha vida). Para visitar 9 cidades em 6 países, deixei o Brasil rumo ao velho continente com o itinerário bem planejado e todas as passagens de trem já compradas. Na época, – sem poder contar com as facilidades de um dispositivo móvel conectado à internet full time – a questão da mobilidade pela Europa era uma das minhas grandes preocupações. Depois de algumas pesquisas de como poderia me deslocar com a mala nas costas, tempo contado e por um preço que cabia no bolso, acabei optando pelo meio de transporte coletivo mais charmoso do mundo: sobre trilhos! 

Mas, e hoje, qual a melhor opção de transporte na Europa? Será que é o trem?

A verdade é que a Europa possui uma diversa gama de meios transporte – sejam eles públicos ou particulares. Dentre as múltiplas opções, a melhor é aquela que atende de forma mais eficiente a necessidade pessoal de cada viajante. Por isso, antes de  escolher como se locomover na Europa, é preciso ter em mente o que é prioridade na sua viagem: rapidez? conforto? preço? 

Com base nesses e outros critérios – e levando em conta as nossas experiências pessoais – Vinicius e eu elencamos abaixo os meios de transportes mais usuais na Europa. Pode deixar que não vamos tentar convencê-lo a fazer uma road trip com seu carro brasileiro pela Europa; ao menos não dessa vez.

[Saiba aqui como viemos parar na Europa com o nosso carro brasileiro!] 

GRANDES DISTÂNCIAS : COMO SE LOCOMOVER ENTRE AS METRÓPOLES DA EUROPA?

Como dissemos antes, para escolher qual o meio de transporte ideal para a sua viagem na Europa, é importante considerar o seu estilo de viagem: Quanta bagagem você leva? Com quantas pessoas você irá viajar? Qual o seu orçamento? Qual a distância entre as cidades e quanto tempo você tem disponível? Como o seu destino é servido de transporte público? Todos os países fazem parte do Espaço Schengen ou você terá que enfrentar controle imigratório?

As respostas a cada uma dessas pergunta te conduzirá a diferentes opções de locomoção e, por isso, com base nelas, elencamos as nossas dicas de transporte para você viajar tranquilo pela Europa:

Carro: Se levarmos em conta a extensão territorial do Brasil, na Europa tudo pode ser considerado “pertinho”. Enquanto no nosso país levávamos um dia inteiro na estrada sem sair do mesmo estado, aqui na Europa, em menos de oito horas dirigindo, é possível cruzar o território de várias nações (em estradas que são verdadeiros tapetes). É por isso que utilizar um carro como meio de transporte na Europa é, além de prazeroso, super praticável. Lembre-se que se for para destinos fora da área de livre circulação da União Europeia, você terá que fazer os trâmites fronteiriços, o que pode ser um entrave. Fora isso, o carro será uma boa opção se você quiser ter liberdade nos horários, estiver em um grupo de 4 pessoas ou quiser ir a lugares em que o transporte público não é tão eficiente, como nas cidades do interior. 

[Escrevemos sobre as vantagens e desvantagens de viajar de carro na Europa neste post aqui. Confere lá!].

Trem: segurança, pontualidade e rapidez são algumas das vantagens de se viajar de trem na Europa. Preço e conforto já são questões que podem variar a depender do trecho escolhido, já que na Europa o transporte férreo é operado por mais de uma dúzia de empresas diferentes. De modo geral, viajar de trem é super confortável e não há taxas de excesso de bagagem (em geral, o limite é que você conseguir carregar). Além disso, as estações de trem na Europa estão localizadas no centro da cidade, super conveniente e prático.

Avião: as companhias aéreas low cost são as verdadeiras queridinhas dos europeus que precisam percorrer grandes distâncias, com rapidez, dentro do continente. Aqui a regra é ficar de olho nas promoções. Levando apenas 1h45min, voamos de Milão à Hamburgo por apenas 25€. Nesse caso, é bom saber que a bagagem pode ser um limitador. Companhias de baixo custo permitem apenas uma bagagem de mão com dimensões que caiba no compartimento superior da aeronave. Para despachar uma mala de até 15kg, a EasyJet, por exemplo, aplica atualmente taxas que podem variar de 9,09 € – 45,49 €. Além disso, os aeroportos estão situados fora da cidade, sendo necessário preciso pegar um trem ou transfer para chegar o centro. Ou seja, sua passagem inicialmente baratinha pode ficar bem salgada no final das contas.

Ônibus: há empresas particulares de ônibus que cobrem trajetos grandes por toda a Europa. É uma opção relativamente confortável, porém mais demorada e mais sujeita a imprevistos. Se você tiver que pegar outro transporte ou tiver hora marcada, é bom viajar com folga. Por outro lado, as operadoras te dão direito a transportar pelo menos uma bagagem maior sem taxas adicionais, uma vantagem sobre o transporte aéreo de baixo custo. Fora isso, em algumas regiões menos providas de malha férrea, o ônibus poderá ser a sua única opção de meio de transporte coletivo terrestre.

Carona: e por que não? Definitivamente o mundo está mudando e compartilhar algumas horas na estrada na companhia de outra pessoa sem precisar contar com a sorte na beira da rodovia já é uma realidade (sem intenção aqui de descartar essa aventureira e incrível possibilidade de viajar!) Os aplicativos de carona, como o Blablacar, conectam pessoas que estão indo para o mesmo lugar e o passageiro consegue saber com antecedência com quem irá viajar. Nesse caso, você dá uma contribuição pela carona, cujo valor é previamente definido e o pagamento é feito em dinheiro no final do trajeto. 

MAS, E COMO SE LOCOMOVER DENTRO DAS GRANDES CIDADES DA EUROPA?

Quando falamos em mobilidade urbana dentro das grandes metrópoles européias, o transporte público é sempre o mais indicado. De modo geral, eles são eficientes, pontuais, com ampla abrangência territorial e preços acessíveis. Além disso, mesmo que seja sua primeira vez na cidade, dá para se locomover sem muito mistério. Hoje, o próprio Google Maps te dá as opções de linhas e horários que te levam até o seu destino. Nós utilizamos várias vezes, em cidades diferentes da Europa, e nunca teve erro.

Para quem procura mais conforto, táxi é sempre uma opção a se pensar, principalmente para quem viaja com crianças. É muito mais prático e, em alguns casos, pode até ser economicamente mais interessante. Vale sempre a pena tentar estabelecer um preço fixo pela corrida antes do motorista ligar o taxímetro.  Falando em táxi, não podemos deixar de falar do Uber, o revolucionário meio de transporte privado também está presente em várias cidades da Europa. A vantagem do aplicativo é que você sabe o valor da corrida antes de chamar o serviço e até pode te dar uma referência no caso de você preferir chamar um táxi.

Na categoria de meios de locomoção saudáveis, divertidos e de baixo impacto ambiental, estão as bicicletas e, mais recentemente, as patinetes elétricas. A quantidade de cidades que já disponibiliza o serviço na Europa são um indicativo de que a opção ganhou rapidamente muitos adeptos. E não é sem razão: as patinetes são leves, práticas, ágeis e muito, muito divertidas. O aluguel dos equipamentos geralmente é feito por aplicativos que liberam o uso das bikes e patinetes assim que você digita o número do seu cartão de crédito e ao contrário de carros, você não precisa de preocupar com combustível, carteira de habilitação internacional, estacionamento, etc.

Fonte: www.ratp.fr; visitlondon.com; metropolitanadiroma.it; www.tmb.cat; stcp.pt; metrodoporto.pt.

Como o bom e velho ônibus ou ao moderno e rápido metrô ainda são os meios mais procurados na hora de se locomover dentro das cidades, aí vai uma tabelinha com valores praticados no início do ano de 2020 em 5 cidades dentre os países mais visitados da Europa. Aqui estamos considerando valores integrais, para adultos, em para trajetos únicos:

Lembrando que todas essas cidades possuem opções de travel passes, que dão direito a usar mais de um tipo de transporte público, por vários dias consecutivos, por um preço mais interessante. 

Por fim, não descarte uma bela caminhada, ainda que o trajeto parecer longo. Calce um tênis confortável e tome o tempo necessário. Explorar a cidade à pé é uma das melhores maneiras de se integrar à paisagem e de ver detalhes que passariam despercebidos pela janela do carro, do bonde ou do busão.

Quer mais informações sobre os principais meios de transporte na Europa, roteiros gastronômicos, pontos turísticos pela Europa, envie um e-mail para conexao@conexaoeuropa.com.br

POSTS RELACIONADOS

Visitar

Como criar um plano de viagem para 1 mês na Europa em 7 etapas

27/09/2021
Visitar

Os melhores passeios de bate-e-volta partindo de Londres

24/09/2021
Visitar

6 cidades europeias incríveis para visitar pós-pandemia

23/09/2021