Tudo sobre a Capela Sistina no Vaticano

Tudo sobre a Capela Sistina no Vaticano

27.11.2020

Quem assistiu à produção da Netflix e viu a cena de “Os Dois Papas” quando os protagonistas discutiam solitários sobre a obra do Juízo Final nem imagina como é o dia a dia no interior da Capela Sistina: vazia assim, só mesmo em cena de filme!

A genialidade de Michelangelo retratada no interior da capela mais famosa do mundo faz do Museu do Vaticano ser o terceiro museu mais visitado do globo, perdendo apenas para o Louvre, em Paris e o Museu Nacional da China, em Pequim.

Em 2019, foram quase sete milhões de pessoas que tiveram a oportunidade de contemplar a beleza dos afrescos da Capela Sistina de pertinho!

E você? Que tal entrar para essa estatística no ano que vem?

Então continue conosco que a gente conta agora tudo sobre a Capela Sistina, no Vaticano.

Curiosidades sobre a Capela Sistina: saiba tudo sobre a obra mais famosa de Michelangelo

Se você tiver que escolher uma, apenas uma obra de arte para conhecer em toda a sua vida, nós diríamos: conheça a Capela Sistina!

Ninguém consegue ficar indiferente a tamanha genialidade e domínio técnico de Michelangelo, ainda que arte não seja a sua praia e você não faça a mínima ideia da diferença entre os estilos gótico, barroco ou renascentista. 

A grande dimensão das figuras, a riqueza de detalhes e a dificuldade evidente da aplicação da tinta acompanhando a curvatura dos tetos fazem qualquer leigo reconhecer de imediato a grandiosidade dessa criação única e excepcional.

Confira agora algumas curiosidades sobre essa obra de valor cultural universal!

Onde fica a Capela Sistina?

Vaticano

A Capela Sistina é uma das capelas do Vaticano, onde fica a residência oficial do Papa. O Vaticano, você sabe, é a cidade-estado cercada por Roma, Itália, onde fica a sede da Igreja Católica.

Por que chama Capela Sistina?

A Capela Sistina tem o nome de Sixtus IV, Sisto em italiano, o Papa que a encomendou no ano de 1470. 

Qual a importância da Capela Sistina para a Igreja Católica atualmente?

Atualmente a Capela Sistina é a sede do conclave, a reunião em que o Colégio dos Cardeais escolhe um novo Papa. 

Além disso, no interior da Capela Sistina celebra-se todos os anos uma missa por ocasião da Festa do Batismo do Senhor (primeiro domingo após a Epifania), durante a qual o Papa batiza os recém-nascidos que tiveram a sorte de serem escolhidos entre tantos candidatos que formam uma longa fila de espera.

Quando, por quem e em quanto tempo a Capela Sistina foi pintada?

Criação de Adão

A Capela Sistina não foi construída de uma só vez como se vê hoje; ela foi fruto da restauração da já existente Cappella Magna entre os anos de 1477 e 1480, por ordem do Papa Sixtus. Nos anos seguintes, pintores do calibre de Pietro Perugino, Sandro Botticelli, Domenico Ghirlandaio e Pinturicchio foram contratados para decorar as duas longas paredes da capela.

Michelangelo só apareceu mais tarde, quando o Papa Júlio II lhe confiou a pintura da imensa abóbada da Capela Sistina, com seus 40 metros de comprimento e 13 de largura.

A obra-prima que é conhecida como uma das mais importantes da arte ocidental foi pintada em tempo recorde, entre 1508 e 1512.

Para recobrir os 500 metros quadrados de teto curvo, Michelangelo se inspirou em vários temas bíblicos. Os painéis principais, posicionados no centro, representam cenas do Antigo Testamento, como a Criação de Adão, o Sacrifício de Noé e o Grande Dilúvio.

Em ambas as faces, ao lado de cada uma dessas cenas, estão grandes retratos dos profetas anunciando a vinda de Jesus. Também existem figuras menores como anjos querubins. No total, são mais de 300 figuras impressionantes pintadas no teto.

Mas a história de Michelangelo com a Santa Sé não terminou aí. 

Quase trinta anos mais tarde, o pontífice Clemente VII de’ Medici incumbiu ao pintor uma nova tarefa: alterar a decoração da Capela Sistina, pintando o Juízo Final, aquela mesma do filme do Netflix, na parede do altar.

Neste afresco Michelangelo quis mostrar o glorioso retorno de Cristo, agora inspirado nos textos do Novo Testamento. Anjos com trombetas anunciam a ressurreição dos mortos, com a ascensão de quem é acolhido na graça celestial e a angústia dos condenados lançados no Inferno. O artista iniciou a obra do Juízo final em 1536 e a concluiu no outono de 1541. 

Mais de 500 anos depois, os afrescos de Michelangelo com sua extraordinária complexidade continuam a atrair uma multidão de visitantes e críticos de arte, sendo considerados uma das principais obras da história da pintura.

Quer saber como visitar a Capela Sistina? 

Abaixo você encontra todas as informações que você precisa!

Sobre a visitação: dicas práticas sobre a Capela Sistina

Agora que você já sabe a história e as curiosidades de um dos maiores tesouros do Vaticano, de Roma e do mundo, você confere todos os detalhes necessários para visitar a Capela Sistina. Confira!

A Capela Sistina fica dentro da Basílica de São Pedro?

Não, a Capela Sistina está localizada ao lado da Basílica de São Pedro e faz parte do conjunto de museus dos Museus do Vaticano. O acesso se dá pela bilheteria dos Museus, cuja entrada está a um quilômetro da Praça São Pedro. 

O que o ingresso dá direito a ver? É possível visitar apenas a Capela?

Não, não é possível adquirir um ingresso que dá direito à visitação na Capela Sistina isoladamente. 

Para visitar a obra de Michelangelo é necessário comprar um ingresso para os Museus do Vaticano, o que inclui o acesso a todas as seções abertas dos Museus – com valiosas coleções de arte e antiguidades – e da Capela Sistina, bem como a permanência dentro dos museus até o horário de fechamento.

Apesar de ser altamente enriquecedora, quem quiser abrir mão da experiência de conhecer as outras 70 mil obras de artes de propriedade da Santa Sé, nada impede que você vá direto à Capela quando os Museus abrirem.

É bom lembrar somente que os ingressos do Museu do Vaticano não incluem a entrada na Basílica de São Pedro, que, entretanto, tem entrada gratuita. O que acontece é que, via de regra, o Vaticano permite que os visitantes dos Museus utilizem a passagem interna que conecta os Museus do Vaticano à Basílica de São Pedro. Se por alguma razão ela estiver fechada – como aconteceu durante a situação de emergência pela Pandemia -, o acesso à Basílica terá que ser feito exclusivamente pelo lado externo, pela Praça São Pedro.

Quanto tempo leva a visita?

A resposta a essa pergunta dependerá de quanto você estiver disposto a mergulhar na história e nas obras expostas nos Museus. Nosso conselho é que você reserve no mínimo 3 horas para conhecer os Museus e a Capela Sistina. 

Quanto custa o ingresso para os Museus do Vaticano?

Em 2020, os bilhetes de acesso aos Museus do Vaticano com direito à visita não guiada à Capela Sistina estão custando:

  • Adultos: 17 euros
  • Reduzido (crianças entre 6 e 18 anos e alunos até 25 anos na apresentação de Carteira de Estudante Internacional): 8 euros

Para quem pretende fazer uma visita guiada no idioma italiano ou inglês, o valor é de 30 euros para adultos e 21 euros para os que têm desconto na categoria reduzido.

*ATENÇÃO: A entrada aos Museus do Vaticano costuma ser gratuita no último domingo de cada mês. Em 2020, em razão da Pandemia, a visitação aos domingos e, portanto, também a gratuidade foram suspensas. Verifique essa informação na data da sua visita no site oficial dos Museus do Vaticano.

Como chegar à Capela Sistina

Para quem está hospedado em Roma, é possível chegar ao Vaticano a pé, táxi ou utilizando o transporte público, como metrô, ônibus ou bonde. Confira os detalhes:

Metrô: Pegue a Linha A (laranja) em direção às Estações Battistini, Ottaviano ou Cipro

Ônibus: Várias linhas chegam até o destino desejado:

  • 49, parada na praça em frente aos Museus do Vaticano
  • 32, 81, 982, parada na Piazza del Risorgimento
  • 492, 990, parada na Via Leone IV / Via degli Scipioni

Bonde

Pegue o bonde de n. 19 e pare na Piazza del Risorgimento.

Onde e como comprar os ingressos para a Capela Sistina

Em geral, é possível adquirir os ingressos para os Museus do Vaticano diretamente na bilheteria dos Museus ou pela internet, o que é altamente recomendado para evitar as longas filas.

Atualmente, contudo, seguindo as disposições contra a propagação da pandemia COVID-19, não há mais venda de tickets diretamente na entrada dos Museus até segunda ordem. Para visitar a Capela Sistina hoje é obrigatório reservar os bilhetes online.

Horário de Funcionamento

Os dias e horários de funcionamento dos Museus do Vaticano alteram conforme a estação do ano e por isso é sempre bom verificar a informação atualizada no site oficial dos Museus do Vaticano

Durante os meses do verão, saiba apenas que há possibilidade de visitar a Capela Sistina inclusive à noite, o que pode ser uma ótima ideia para driblar o tumulto e fugir do calor.

Nesse ano de 2020, excepcionalmente em razão da Pandemia, os Museus não estão abrindo aos domingos e a visitação com reserva eletrônica tem horário pré-determinado.

Quando é melhor visitar a Capela Sistina

Visitar a Capela Sistina é como ir ao show do Paul McCartney: você precisa ter paciência para lidar com muitas pessoas a sua volta, mas o espetáculo é recompensador. São mais de 5 milhões de visitantes todos os anos, muitos dos quais estão lá apenas para ver os afrescos da Capela Sistina.

Logo, é melhor não gerar expectativas de que você poderá apreciar a obra de arte mais famosa do mundo em um ambiente de pura contemplação.

De toda forma, você pode testar uma alternativa que é agendar a sua visita para uma manhã de quarta-feira. É nesse horário que o Papa aparece na Praça São Pedro para deixar a sua mensagem semanal aos fiéis. Como consequência, a maioria dos visitantes estarão do lado de fora dos Museus.

Para quem faz questão de um pouco mais de tranquilidade para conhecer essa obra tão importante, há ainda a possibilidade de contratar tours guiados diferenciados, que permitem que o visitante entre nos Museus antes do horário oficial de abertura ou fique alguns minutos após o seu fechamento. 

Outros detalhes importantes: não dê bobeira na sua visita à Capela Sistina

Além das informações sobre compra de ingresso, horário de funcionamento e localização, há outros detalhes importantes que você deve se atentar antes de partir em direção à Capela Sistina:

  • Roupas: A entrada nos Museus do Vaticano, na Capela Sistina, na Basílica de São Pedro e nos Jardins do Vaticano é permitida apenas para visitantes vestidos de “maneira apropriada”. Esse conceito um tanto subjetivo pode causar problemas e até impedir você de visitar esses lugares. Nesse caso, pecar pelo excesso não é apenas perdoável, como recomendável. Evite roupas sem mangas e decotadas, shorts acima do joelho e minissaias.
  • Animais de estimação e cães-guia: O acesso aos Museus do Vaticano não é permitido a animais, mesmo os de pequeno porte, com exceção de cães-guia, desde que equipados com focinheira. Nesse caso, uma comunicação da visita deve ser enviada ao Museu com pelo menos um dia de antecedência através do seguinte e-mail: accoglienza.musei@scv.va .
  • Fotografia nos Museus do Vaticano: É permitido tirar fotografias das obras para uso pessoal em todas as áreas dos Museus do Vaticano, exceto na Capela Sistina. Já a fotografia com flash e o uso de bastões de selfie são estritamente proibidos em qualquer lugar. 
  • Silêncio!: Durante a visita à Capela Sistina os visitantes são convidados a guardar silêncio absoluto.
  • Comida e bebida: É proibido consumir alimentos e bebidas dentro das salas de exposição. Ao longo do percurso do museu estão à disposição do público várias máquinas de venda automática, além de cafeterias e restaurantes.
  • Celulares: Dentro dos Museus do Vaticano os visitantes devem ativar a função silenciosa de seus dispositivos móveis. O uso de telefones celulares é proibido na Capela Sistina!
  • Fumar nos Museus do Vaticano: Os Museus do Vaticano são uma “área para não fumantes” e é estritamente proibido fumar (inclusive cigarros eletrônicos e semelhantes) ao longo de todo o itinerário do museu.
  • COVID19: Em razão da situação de emergência sanitária, alguns serviços e funcionamento dos Museus do Vaticano ganharam novas regras, como o uso obrigatório de máscaras, o controle de temperatura na entrada e o acesso negado a quem estiver com mais de 37,5ºC. 

Como ainda não há previsão para que essas medidas sejam suspensas e considerando a possibilidade da permanência contínua de certas restrições ainda que a situação emergencial melhore, ressaltamos mais uma vez a importância de verificar as condições especiais de visitação no momento da sua viagem.

Então, anotou tudo direitinho? Esperamos que as nossas dicas tenham sido valiosas para você. Afinal, a Capela Sistina é um dos locais mais famosos da história e você indiscutivelmente não pode perder.

Quer mais dicas de viagem pela Europa? Confira esses outros textos com destinos incríveis pela Itália:

Se o plano for morar, trabalhar ou estudar na Itália, leia também:

POSTS RELACIONADOS

Visitar

Pratos típicos de Natal na Itália

18/11/2021
Visitar

Como aproveitar o fim de ano no inverno italiano

16/11/2021
Visitar

Rotas do vinho imperdíveis na Toscana

28/10/2021