Principais meios de transporte para viver na Itália

Principais meios de transporte para viver na Itália

19.06.2021

Um dos aspectos fundamentais da qualidade de vida de um lugar está na mobilidade: quanto mais fácil e barato o deslocamento, melhor. Confira tudo sobre transporte na Itália.

Se você está pensando em viver no em solo italiano, naturalmente precisará se locomover diariamente por lá, seja para ir ao trabalho, levar os filhos à escola ou fazer compras no supermercado, certo?

Por isso, saber quais os principais meios de transporte para viver na Itália antes mesmo de partir ajuda você a escolher o melhor lugar para morar, além de ser uma forma inteligente de prever o orçamento para os gastos com deslocamento.

Abaixo está uma visão geral dos meios de transporte disponíveis para você uma vez morando na Itália. Confira!

Sistemas de Transporte na Itália: público e privado

Existem muitos tipos de meios de transporte público diferentes para se deslocar de um lugar para outro na Itália. No entanto, sua disponibilidade e a frequência ​​variam muito de cidade para cidade. 

Por isso, ônibus, trens ou metrô podem ser uma excelente opção para uns, enquanto outros precisam se valer de veículos particulares, como carros, motos ou bicicletas para se deslocar em cidades menores. 

Abaixo falamos mais de cada uma dessas opções:

O trem na Itália

A Itália opera uma rede ferroviária eficiente que cobre todo o país e conecta a maioria das grandes cidades. 

Na Itália existem trens regionais e inter-regionais – mais lentos e baratos – e os de alta velocidade. Veja como eles estão divididos, em termos de frequência e velocidade:

  • Frecce: Esses são trens de alta velocidade que operam apenas entre as grandes cidades. É preciso fazer a compra antecipada dos assentos e os preços são mais elevados.  Eles estão divididos em: 
  • Frecciarossa: podem alcançar até os 300 km/h e ligam as cidades de Turim, Milão, Bolonha, Florença, Roma, Nápoles e Salerno;
  • Frecciargento: viajam a até 250 km/h, fazem mais de 60 conexões, ligando Bolzano, Trento, Veneza, Verona, Mântua, Gênova, Lecce e Reggio Calabria a partir de Roma;
  • Frecciabianca: liga Milão, Veneza, Gênova, Roma, Salerno, Ravena, Bari e Lecce  em deslocamentos de até 200 km/h.
  • Regional: divididos em duas categorias: 
  • Regionale: Esses trens locais costumam funcionar durante o horário escolar e comercial. Os preços são geralmente razoáveis ​​e não é preciso comprar com antecedência.
  • Intercidades:  esses trens são relativamente mais rápidos que os regionale, são mais direitos, parando apenas nas principais cidades do trecho. 

Sem dúvida, o trem é a melhor forma de viajar médias e longas distâncias na Itália, inclusive como transporte diário para quem mora na periferia e trabalha no centro das grandes cidades.

>> Dicas importantes para você que irá utilizar os trens na Itália: 

  • Lembre-se de validar sua passagem antes de embarcar no trem, em uma das máquinas na entrada das plataformas. Se a fiscalização encontrar você apenas com o bilhete não carimbado, é multa na certa.
  • O trem geralmente sai no horário, mas quase nunca na plataforma informada. Então chegue na estação pelo menos 10 minutos antes e fique de olho nas mudanças de última hora na tela de avisos para não perder o trem. 
  • O bilhete pode ser comprado pela internet, nos guichês de atendimento ou nas máquinas  automáticas localizadas nas estações.

Não deixe de ler também: Viagem de trem pela Europa: roteiros de tirar o fôlego

Ônibus na Itália

Os ônibus na Itália são fáceis de usar e são econômicos. 

É o meio de transporte ideal para se locomover entre duas cidades de tamanho médio, porque costumam ser mais diretos que os trens. Outra vantagem é que esse meio de transporte permite que você vá a muitas cidades que não são servidas por linha férrea.

Além disso, os carros costumam estar em muito bom estado e são realmente muito confortáveis. Muitas empresas também oferecem ar condicionado e acesso Wi-Fi gratuito. 

>> Dicas importantes sobre os ônibus na Itália:

  • Sempre compre sua passagem de ônibus antes do dia da partida. É possível fazê-lo pela internet ou, ainda mais simples, em qualquer tabacaria da cidade. 
  • Em alguns trajetos interurbanos, a passagem pode ser comprada diretamente com o motorista, mas o preço costuma ser mais alto do que aquele praticado nas tabacarias.
  • Nos ônibus urbanos, o viajante deve embarcar sempre pela porta frontal do veículo e validar seu ticket ao embarcar. Basta aproximar o bilhete da máquina de validação e aguardar a confirmação.
  • O bilhete deve ser guardado durante toda a viagem para fins de apresentação no caso de fiscalização.

Metrô na Itália

O metrô está presente em algumas grandes cidades italianas, incluindo Roma, Milão, Torino e Nápoles. 

Eles são muito rápidos, geralmente pontuais e são ideais para quem vai de um ponto a outro dentro dessas cidades ou de suas conurbações metropolitanas.

As passagens de metrô podem ser adquiridas nos balcões ou máquinas de auto-atendimento presentes em todas as estações.

Veículo próprio

O carro torna-se uma escolha obrigatória se o trajeto for muito longo para ser percorrido de bicicleta e mal servido por transporte público.

É também a melhor opção para quem pretende morar em uma pequena cidade ou área rural, já que nesses lugares o transporte coletivo é bem menos frequente.

Já para quem mora em uma cidade servida de trem, ônibus ou metrô, a utilização do carro precisa ser bem pensada.

Apesar do automóvel trazer maior autonomia, flexibilidade de horário e comodidade, o uso desse meio de transporte também tem seus inconvenientes na Itália. A falta de estacionamento e o preço alto do combustível e dos pedágios são os principais.

Além do mais, há o desafio em se adequar a cultura italiana no trânsito – por vezes agressiva, muitas vezes desorganizada – especialmente para quem decide morar nas cidades mais ao sul do país.

Em alternativa, uma opção de transporte privado a ser considerada na Itália é a moto, mais precisamente a lambreta, um dos símbolos italianos. 

Esse meio de locomoção é extremamente útil para abrir caminho no trânsito das grandes cidades e em estradas estreitas, além de ser mais econômico.

>> Dicas sobre a utilização de veículos na Itália:

  •  Esteja atento à sinalização de Zona Traffico Limitato (ZTL), específica para centros urbanos e históricos. Essas áreas são fechadas para a circulação de veículos não autorizados e o desrespeito a essa proibição acarreta multas pesadas.
  •  Na Itália, você tem que pagar pedágio para trafegar pelas autoestradas. Em geral, é possível pagar em dinheiro a um atendente nas cabines, mas cartões de crédito também são aceitos.
  •  Uma alternativa aos pedágios é usar apenas as estradas secundárias. Aos que precisam se deslocar com velocidade todos os dias, o melhor mesmo é contratar o  Telepass, o sistema eletrônico de cobrança de pedágio na Itália.

Leia também: > Viajar de carro pela Europa: vantagens e desafios

Bicicletas na Itália

As bicicletas também são muito populares, especialmente no norte da Itália, e são parte integrante do modo de vida italiano. 

Isso mesmo! Não é difícil encontrar italianos bem vestidos sentados no selim de uma bicicleta igualmente charmosa.

Entre as vantagens, a bicicleta permite que você visite muitos lugares históricos e outras atrações sem os inconvenientes que mencionamos acima em relação ao carro. 

O lado ruim é que nem todas as cidades italianas possuem ciclovias, como Roma, por exemplo.

De toda forma, a bicicleta é o meio de transporte ideal para quem não precisa encarar longas distâncias: é econômico, não tem custos de combustível, nem impostos relacionados ao seu uso. Além disso, não polui e pode ser mais rápido do que o carro e o transporte público se a rota for muito movimentada.

Táxi na Itália

Eles até existem, mas só utilize táxi na Itália em caso de extrema necessidade.

Eles são caros, não aceitam cartão e a maioria dos taxistas não fornece uma tarifa fixa com antecedência, o que pode ser um problema se o deslocamento for de grande distância.

Se você está se perguntando sobre o Uber, o negócio não melhora muito, ao menos por enquanto.

No momento, o  Uber está disponível apenas em Roma e Milão e, por sofrer muitas regulamentações e estar menos disponível, é um serviço bem menos eficiente e bem mais caro do que estamos acostumados no Brasil.


Seguros Promo

Aplicativos e Sites úteis: a internet a serviço do transporte na Itália

Para finalizar, nossa última dica é que você tenha sempre na palma da mão alguns aplicativos ou endereços eletrônicos que facilitam a sua vida na hora de se locomover na Itália. 

A dica serve tanto para quem vive no país da pizza, quanto para quem visita a Itália:

  • Trenitalia: Através do aplicativo da empresa que controla e regula o sistema ferroviário italiano, é possível fazer consultas, ver onde está a estação mais próxima, comprar o bilhete e acompanhar o deslocamento do trem em tempo real. 
  • Aos que forem utilizar o Frecce, o trem de alta velocidade, o aplicativo Portale Frecce disponibiliza serviços de entretenimento – como jogos, filmes ou revistas digitais – a bordo do trem.
  • Trenit: aplicativo italiano desenvolvido para informar horários e preços de trens na Itália.
  • Moovit: aplicativo com mapas e horários de ônibus, trem e metrô na Itália, com valores e comparadores de tempo estimado de trajeto.
  • autostrade.it: o site italiano com informação atualizada sobre o tráfego é uma excelente bússola para quem viaja de carro.

Seja para quem utiliza transporte público, seja para quem opta pelo meio privado, com a ajuda da tecnologia, você poderá decidir pontualmente a melhor forma de se locomover na Itália. 

Confira ainda nossos outros artigos selecionados especialmente para você que está planejando viver na Itália: 

> Documentos necessários para morar na Itália, veja a lista completa!
> Como trabalhar legalmente na Itália

POSTS RELACIONADOS

Morar

Melhores regiões na Itália para trabalhar

15/08/2021
Morar

Morar na Itália: saiba tudo sobre a isenção de imposto sobre a primeira casa

19/07/2021
Visitar

5 boas razões para você visitar a Itália no inverno

18/07/2021