Conhecendo a Itália: além das grandes cidades

Conhecendo a Itália: além das grandes cidades

03.07.2020

Itália além das grandes cidades: Tonco, Garessio, Donnas, Cherasco, Castelnuovo Don Bosco, Trevignano Romano. 

Você já ouviu falar em alguma dessas cidades italianas? Tudo bem, elas realmente não são tão famosas quanto Roma, Florença, Milão ou Veneza. 

Mesmo não estampando a capa das grandes revistas de viagem, esses e milhares de pequenos vilarejos do interior da Itália oferecem, entretanto, muitas vantagens aos viajantes, escondidas justamente em seu “anonimato”!

Nesse artigo você irá descobrir por que essas cidades italianas de menos de sete mil habitantes são especiais e por que fugir do turismo de massa é uma das melhores formas de conhecer a Itália.

Férias na Itália: por que escolher um destino além das grandes cidades?

É indiscutível que Roma é um lugar mágico, que testemunha como nenhum outro a imponência do Império Romano. Também não há argumentos para contrariar o esplendor e a beleza de Veneza, a cidade preferida de muitos viajantes.

Mas há um tipo de experiência que as grandes cidades turísticas simplesmente não entregam. 

Falamos de autenticidade, de simplicidade e de “atrações” que não entrariam nessa classificação em nenhuma lista convencional de coisas a fazer em uma viagem. Em outras palavras, as pequenas cidades italianas perdidas no mapa são completamente genuínas: nelas, são precisamente os fatos da vida cotidiana que se mostram tão especiais.

Abaixo, listamos uma dúzia de dicas para quem quer viajar para a Itália além das grandes cidades, de uma forma diferente, conhecendo a vida italiana que acontece longe dos flashes dos turistas. Desacelere e aproveite o melhor da Itália: 

1- Deixe-se levar pela atmosfera bucólica de uma pequena cidade italiana (antes que ela seja interrompida por algum italiano gesticulando e falando alto). 

Caminhe pelas ruas antigas e se perca nos pequenos detalhes dos prédios com séculos de história. Observe as berinjelas que crescem nas hortas cultivadas nos jardins das casas, as flores que nascem entre os vãos das calçadas estreitas, as fumaças que saem das chaminés. 

Garessio
Garessio, Itália

Preste atenção no badalo do sino da Igreja e se não estiver entendendo por que ele bate incessantemente às 15:15 horas de uma sexta-feira, não hesite em perguntar a razão ao senhorzinho italiano sentado no banco da praça.

2- Repare nas lojas do comércio e redescubra os pequenos estabelecimentos em extinção no Brasil.

Namore as vitrines das alfaiatarias, dos caseificios (as casas de produtos frescos derivados do leite), dos sapateiros artesanais. Dê uma espiada mais ao fundo da loja e observe o engenhoso trabalho manual sendo feito na hora. 

Dê uma olhada também nas pequenas quitandas: as lindas frutas, ao sul, ou trufas, ao norte, formam vitrines tão atraentes quanto a das relojoarias.

3- Prove os melhores gelatos artesanais italianos sem as filas e sem os preços da Piazza della Republica

Mesmo que você viaje no inverno e pegue temperaturas que não ultrapassem 5ºC, sua viagem à Itália só estará completa quando você provar um sorvete italiano. 

Aproveite a tranquilidade da pequena cidade e a ausência de uma fila quilométrica atrás de você e peça para provar os diferentes sabores antes de escolher o seu preferido. 

4- Participe dos festivais populares que acontecem anualmente nas pequenas cidades do interior. 

As sagras, como são chamadas, são realizadas nos finais de semana dos meses de verão e costumam promover um alimento ou bebida local. Música, feiras e concursos esportivos curiosos também são comuns nessas festividades. 

Quem estiver perto de Cherasco, poderá se divertir em um jantar dançante a base de música local e escargot, logo depois de conhecer a cidade que foi palco de um capítulo importante da história de Napoleão Bonaparte.

Já quem quiser participar da La Sagra Della Salsiccia (a festa da salsicha) na cidade onde nasceu Dom Bosco, se divertirá com a Corsa delle Botti, uma corrida tradicional em que os participantes rolam barris de vinho pelas ruas da cidade até a linha de chegada.

Para quem estiver na Itália na época do Carnaval, fugir da lotada Veneza e procurar uma cidadezinha do interior pode ser uma excelente ideia. O costume nacional manda celebrar a data com muita comida e bebida. Alguns municípios, como Tonco, mantêm a tradição à risca, distribuindo uma cremosa polenta com queijo, doces e vinho à população.

5- Se estiver na Itália em algum feriado religioso, ir à missa pode ser uma verdadeira imersão na cultura italiana. 

A experiência não se resume à missa em si, mas ao que acontece antes e depois dela. Os italianos se juntam na frente das Igrejas e trocam longas conversas sobre algum tema atual ou sobre comida, evidentemente. 

Para quem não é católico ou não pratica a religião, uma espiada no final da missa pode ser bem interessante. Em algumas cidades do interior, a missa do Galo termina com distribuição de chocolate quente ou “quentão” do lado de fora da Igreja.

6- Itália além das grandes cidades: Pequenas cidades do litoral italiano são tão genuínas quanto as do interior. 

Fuja dos grandes balneários e curta o mediterrâneo de uma perspectiva menos tumultuada. Vá à praia bem cedinho e assista às pequenas embarcações de pescadores trazerem uma variedade incrível de frutos do mar mediterrâneo. 

Se tiver a sorte de estar hospedado em algum lugar com cozinha, poderá preparar a sua própria pasta com tartufo di mare ou Gambereto di Crapolla. 

A receita? 

Pergunte ao pescador: ele te dará as melhores dicas e conselhos de preparo.

7- Tome um café no bar principal da cidade. 

Não se preocupe, você descobrirá qual é o principal bar da cidade assim que chegar no centro da pequena vila. 

A depender do horário, o bar poderá estar cheio de senhores aposentados jogando cartas ou batendo-papo, jovens tomando Spritz ou adultos comendo seu brioche antes de ir ao trabalho. 

Sente-se em uma das mesas, peça seu expresso, cappuccino ou macchiato e observe o ritmo da cidade.

8- Procure pelo prédio da Prefeitura (que não estará muito longe, nem do bar, nem da Igreja) e dê uma olhada no mural que costuma estar pendurado do lado de fora. 

Ali estará a programação de eventos da cidade. Se tiver sorte, você poderá ter o privilégio de assistir um concerto de música clássica, uma peça de teatro ou ópera gratuitamente assim que o sol se pôr. 

9- Fique de olho dos escritórios de informações turísticas. Não é raro encontrá-los mesmo em cidade com menos de dois mil habitantes! 

Sem querer, você poderá descobrir que a cidadezinha que você escolheu conhecer foi locação de um filme de Hollywood, como Donnas, ou é a cidade natal de algum designer italiano famoso, como Garessio.

Para quem ficou curioso, a pequena Donnas foi cenário do filme Os Vingadores, da Marvel. Já Garessio é onde nasceu Giorgetto Giugiaro, desenhista de mais de 200 modelos de automóveis famosos, como Maseratis, BMWs, Ferraris e até o popular Fiat Uno.

10- Procure pelos pequenos pontos azuis no mapa e se encante com os vilarejos à beira dos lagos, como Trevignano Romano. 

A Itália possui muitos belos lagos, sendo Garda e Como os mais famosos. Os lagos menores, entretanto, são igualmente bonitos, com águas claras e, a depender da época do ano, quentinha! Leve, portanto, roupa de banho, a cesta de piquenique e programe-se para passar um dia bem agradável.

Trevignano Romano
Trevignano Romano

Saiba apenas que lugares como o lago di Bracciano, na linda Trevignano Romano, podem não manter a completa calmaria durante os meses de julho e agosto. É quando os italianos entram em férias e invadem esses pequenos paraísos para descansar.

11- Procure uma cantina social e deguste vinhos locais,  gratuitamente, antes de comprar o seu exemplar.

Diferente das grandes vinícolas comerciais e cheias de pompas, as cantinas e pequenos produtores de vinho não costumam exigir reserva antecipada. É só bater palmas na frente da casa sinalizada com os dizeres Azienda Vinicola, como se costuma fazer no interior, e aguardar pelo italiano ou italiana com sorriso largo vir atender. 

Peça para conhecer os vinhos da casa e eles te levarão para degustar a bebida direto dos tonéis.

É bom saber apenas que, no interior, a sesta é algo comum. Depois do almoço até umas 15 horas pode ser difícil encontrar essas pequenas cantinas familiares com as portas abertas.  

12- Almoce em um Agriturismo, numa pequena Osteria, Trattoria ou Cantina histórica.

O título do restaurante, hoje, já não diz muito sobre que tipo de comida e serviço o restaurante oferece. Seja uma Trattoria, Osteria, Cantina ou mesmo Ristorante, vale mesmo uma olhada no cardápio primeiro. 

Talvez você não encontre referências no TripAdvisor e terá que arriscar a sorte. Mas uma coisa é certa: é mais provável fazer uma refeição autêntica italiana numa pequena cidade do que nos destinos turísticos.

Para quem está se perguntando o que é Agriturismo, nós explicamos:  é como um pequeno hotel fazenda de administração familiar. A maioria deles serve também refeições e não limita suas mesas aos hóspedes. 

A comida costuma ser simples…simples e divina! E o melhor: abundante e com preços bem camaradas! 

Aqui vale um aviso. Talvez seja um pouco difícil encontrar algum Agriturismo acidentalmente, já que eles estão afastados das cidades. Nada, entretanto, que perguntar ao dono do bar ou ao nonno da praça não resolva. 

Ah, sim, também é possível encontrá-los digitando “agriturismo perto de mim” no buscador da internet. Pode ser mais rápido e eficaz, mas, sem dúvida, bem menos divertido.

Conhecendo a Itália além das grandes cidades: para onde ir?

Agora que você já sabe o que deve fazer e como aproveitar as pequenas cidades italianas, deve estar se perguntando: mas para onde devo ir? 

A menos que você já tenha visitado o país inúmeras vezes, é provável que a sua base estará em alguma cidade de médio a grande porte da Itália. Ok, elas oferecem uma infraestrutura mais preparada para receber os turistas, especialmente porque possuem ou um aeroporto ou uma grande estação de trem.

Partindo daí, o melhor a se fazer é alugar um carro. Ele te dará liberdade para visitar a região e conhecer não apenas uma, mas várias pequenas cidades italianas.

Não se preocupe com a distância: em menos de meia hora de qualquer grande centro urbano na Itália você encontrará uma pequena cidade para poder curtir a calma e autêntica vida do interior italiano.

Não sabe exatamente para onde ir? Aí vem a parte divertida. Abra o mapa (ou o aplicativo) e dê uma olhada nas cidades em torno do seu lugar de apoio. Se você não conhece a cidade pelo nome é um bom sinal. 

Encha o tanque e simplesmente vá conhecer a Itália além das grandes cidades. Deixe o acaso e a vera Dolce Vita italiana surpreender você.

E se na sua visita você se apaixonar pelo país e decidir morar de vez na Itália, há um texto sob medida para você: Como é morar na Itália? Lembre-se apenas que para residir será necessário um visto, se você não tiver nacionalidade europeia. Para saber mais detalhes sobre como morar na Itália, verifique as nossas opções de serviços e não deixe de entrar em contato conosco!

POSTS RELACIONADOS

Morar

Melhores regiões na Itália para trabalhar

15/08/2021
Morar

Morar na Itália: saiba tudo sobre a isenção de imposto sobre a primeira casa

19/07/2021
Visitar

5 boas razões para você visitar a Itália no inverno

18/07/2021