Manchester, a paixão pelo esporte e os pontos turísticos

Manchester, a paixão pelo esporte e os pontos turísticos

18.05.2021

Manchester é o núcleo da maior área metropolitana do norte da Inglaterra e continua sendo uma importante cidade regional, mas perdeu a vitalidade extraordinária e a influência única que a colocaram na vanguarda da Revolução Industrial.

Conheça Manchester

Manchester na Inglaterra era um protótipo urbano e em muitos aspectos, poderia reivindicar ser a primeira da nova geração de grandes cidades industriais criadas no mundo ocidental durante os últimos 250 anos.

Em 1717, era apenas uma cidade mercantil de 10 mil habitantes, mas em 1851 suas indústrias têxteis (principalmente de algodão) prosperaram tanto que se tornou uma cidade manufatureira e comercial de mais de 300 mil habitantes, já espalhando seus subúrbios e absorvendo seus satélites industriais.

No início do século 20, o crescimento urbano ligava Manchester ao anel de cidades manufatureiras de algodão como, por exemplo, Bolton, Rochdale e Oldham. Sendo assim, uma nova forma de desenvolvimento urbano, uma área metropolitana, estava se desenvolvendo.

Em 1911, Manchester tinha uma população de 2,3 milhões de habitantes e, nos anos seguintes, no entanto, o ritmo de crescimento diminuiu drasticamente. Se o século 19 foi a época de ouro de Manchester, quando era indiscutivelmente a segunda cidade do Reino Unido, o século 20 foi marcado por crescentes problemas industriais.

Conheça quais os principais pontos turísticos da Inglaterra.

Arquitetura e a cara da cidade

A extraordinária riqueza do século 19 de Manchester deixou um registro permanente em uma variedade arquitetônica e virtuosismo que torna o centro da cidade um museu ao ar livre de estilos desde o clássico grego até as primeiras estruturas altas com estrutura de aço.

As empresas competiam para contratar os melhores arquitetos para projetar escritórios e armazéns de esplendor ornamentado, e os edifícios públicos pretendiam ofuscar os de Londres. Assim, os bancos ocuparam templos gregos ou castelos góticos com torres, e armazéns receberam fachadas de palácios venezianos.

Conservar este patrimônio arquitetônico inestimável tem apresentado grandes problemas. Muitos dos edifícios são marcos protegidos, mas não são adequados para as necessidades comerciais modernas, embora algumas conversões imaginativas tenham ocorrido.

A antiga Estação Central, um enorme galpão de trem envidraçado, foi convertida em um centro de exposições. Um complexo de edifícios em Castlefield, incluindo a estação ferroviária mais antiga do mundo, foi desenvolvido como um museu regional de ciência e indústria.

Uma onda de remodelação de escritórios nas décadas de 1960 e 1970 acrescentou muitas estruturas de aço e vidro ao horizonte de Manchester. Um dos primeiros é o edifício mais alto de Manchester, a torre da Co-operative Insurance Society, com 122 metros de altura.

Conheça Manchester — Educação e serviços sociais

A cidade oferece uma gama completa de serviços sociais e de bem-estar dentro do sistema britânico, mas sua força especial reside nos serviços de saúde e educação médica.

A Victoria University of Manchester possui a maior faculdade de medicina da Europa Ocidental e está vinculada a três grandes grupos de hospitais universitários que oferecem tratamento especializado. Um dos mais distintos deles é o Hospital Christie, um importante centro de pesquisa do câncer.

Vida cultural

A vida cultural de Manchester sofreu algumas perdas durante o século 20. Por exemplo, seu prestigioso jornal, The Guardian mudou-se para Londres e retirou o nome da cidade de seu título. No entanto, o Lowry, um centro arquitetônico inovador para as artes visuais e cênicas, foi inaugurado em 2000 e sinalizou o renascimento cultural da cidade no início do século 21.

A música mantém sua força e a cidade possui um grande número de bibliotecas privadas, públicas e especializadas. Manchester também abriga a notável John Ryland University Library (agora parte da biblioteca da Victoria University of Manchester) e a Chetham’s Library, uma das primeiras bibliotecas públicas gratuitas da Europa.

Entre as galerias e museus, a Whitworth Art Gallery e a Galeria de Arte do Manchester City é particularmente conhecida. Este último contém uma bela coleção de pinturas, esculturas, prata e cerâmica e é complementado por várias galerias de ramos.

O Museu de Manchester tem exposições especiais de objetos egípcios e japoneses, bem como coleções de história natural e um aquário. O Museu de Ciência e Indústria destaca a herança industrial de Manchester.

Guia de viagem: o que fazer em Birmingham na Inglaterra.

Paixão pelo esporte e pela música

Existem dois grandes clubes de futebol em Manchester e a cidade ocupa um importante lugar no coração do esporte no Reino Unido. Se você ainda não ouviu falar do Manchester United, é hora de sair mais. O clube de futebol joga em Old Trafford, também conhecido como ‘The Theatre of Dreams’.

A poucas ruas de distância, dia de jogo para o rival, o Manchester City é um acontecimento barulhento. E não é apenas pelo futebol que Manchester é conhecida, pois no terreno do Old Trafford Cricket Club, partidas-teste são disputadas contra times de críquete estrangeiros que visitam o Reino Unido e Sale Rugby e Lancashire County Cricket Club também estão localizados nas proximidades.

Sem contar que Manchester tem um cenário musical que rivaliza com qualquer cidade do mundo. Basta visitar o local do The Haçienda, anteriormente o local de música mais famoso do Reino Unido, e depois passeie até o Albert Hall para uma noite de indie rock. 

A cidade tem uma cena musical pop ativa. Aliás, tudo acontecia em torno da gravadora independente Factory Records que na década de 1980 deu origem a várias bandas de rock influentes mundialmente como Joy Division, Smiths e Oasis.

Programas de inverno na Europa: as melhores atrações para os dias frios.

Algumas curiosidades sobre Manchester

A cidade britânica é considerada o berço da dieta sem carne. Pois é, o vegetarianismo foi iniciado por lá tendo suas raízes em um lugar chamado Beefsteak Chapel (o que é estranho). A pequena capela era o local onde um clérigo pregava ao seu rebanho sobre as virtudes do vegetarianismo, há mais de duzentos anos.

Sem contar que foi em Manchester que surgiu a primeira biblioteca pública, a Chetham’s Library, que foi inaugurada em 1653, e é a primeira biblioteca do Reino Unido aberta ao público gratuitamente. Na verdade, ela é a biblioteca pública mais antiga do mundo de língua inglesa e ainda está aberta.

Manchester também foi eleita a melhor cidade do Reino Unido para se viver segundo  o ranking feito pela The Economist’s Global Liveability Survey. A pesquisa é realizada todos os anos e classifica as condições de vida de 140 cidades em todo o mundo. Manchester tem vencido a concorrência de cidades como Londres, Birmingham e Liverpool.

Para finalizar, foi em Manchester onde o átomo foi dividido. O vencedor do Prêmio Nobel Ernest Rutherford foi quem realizou a divisão do átomo em 1917 na Universidade de Manchester. 

A universidade chamou seu laboratório de física de The Rutherford Building em homenagem ao físico britânico, e a descoberta científica histórica resultou no desenvolvimento da energia nuclear e da radioterapia de combate ao câncer.

Veja também: Norte da Europa, países que você precisa conhecer.

POSTS RELACIONADOS

Visitar

Novas leis do Brexit para os brasileiros

17/08/2021
Visitar

Conheça as margens do Rio Tâmisa e o que fazer

09/07/2021
Morar

Como poupar e transferir dinheiro morando na Inglaterra

09/07/2021