Um dia no Mont-Saint-Michel: dicas práticas para conhecer essa maravilha da França

Um dia no Mont-Saint-Michel: dicas práticas para conhecer essa maravilha da França

29.10.2021

Fica na França, na costa da Normandia, um dos lugares mais impressionantes do planeta: o Mont-Saint-Michel.

Uma estrutura pitoresca levantada sobre uma rocha, circundada pela água do mar e imersa nas névoa baixas dos dias mais frios, esconde uma abadia construída há mais de mil anos, cercada por um muro impenetrável.

O lugar que três milhões de pessoas visitam todos os anos têm muitos segredos para serem revelados. Alguns podem ser ditos por aqui; outros devem ser vivenciados e sentidos no local; muitos ainda nem são conhecidos pelo homem.

Enquanto cientistas continuam a estudar essa obra da engenharia e da fé, nós, viajantes do mundo, tratamos de fazer a nossa parte: experimentá-la com os cinco sentidos, divulgá-la para o mundo e preservá-la para as próximas gerações.

E você, está pronto para conhecer Mont-Saint-Michel?

Confira as nossas dicas práticas para visitar essa maravilha da França.

A história do Mont-Saint-Michel

Assim como as pirâmides do Egito ou as cidades escondidas das civilizações incas, a história do Mont-Saint-Michel permanece com muitas perguntas sem respostas.

Não é de se surpreender.

São treze séculos de história, sobre uma baía de 600 milhões de anos.

O que se sabe é que essa estrutura foi construída em camadas, durante centenas de anos, até atingir o rochedo que serviu de base para a vila que ela abriga hoje.

O que ainda intriga os pesquisadores é como a abadia foi construída sobre um rochedo desnivelado a 30 metros do solo e em meio ao mar.

Isso porque, o fenômeno das marés acontece de uma forma incomum em Saint  Michel. Entre a maré baixa e maré alta há uma diferença de impressionantes 15 metros, fazendo delas uma das cinco maiores marés do mundo. 

Para adentrar ao forte, era preciso aguardar para que o mar cedesse passagem, numa similitude com a passagem bíblica. Não é à toa que o Mont-Saint-Michel é considerado por historiadores, geólogos e visitantes, um presente especial de Deus.

Em termos de estratégia militar, essa combinação de características do Saint-Michel é particularmente brilhante.

Mas além de se ver em meio a um forte de guerra, o que muitos visitantes do lugar não se dão conta é que, ao caminhar pelas “ruas” do Mont-Saint-Michel, eles estão caminhando, na verdade, sobre cavidades e grandes abóbadas centenárias. 

Embora absolutamente harmônico, a construção não se deu de uma única vez. E é exatamente isso que confere toda a beleza e singularidade do Mont-Saint-Michel: a complexidade e a combinação de estilos arquitetônicos de épocas diferentes.

Além disso, quando se vê essa maravilha natural – geológica – unida à humana –  arquitetônica -, não se consegue distinguir onde termina uma e começa a outra.

Simplesmente fascinante!

Mas porque Saint Michel?

De acordo com cristianismo, o arcanjo São Miguel é o chefe supremo do exército celestial, aquele que é capaz de combater e vencer as forças do mal. É ele que estará no comando no dia do julgamento, validando ou não a entrada das almas no paraíso.

Em resumo, é um arcanjo que envolve temor e respeito.

Assim, a história conta que a construção teria sido levantada no século VIII em sua homenagem, depois que o bispo Aubert teria sido visitado pelo próprio São Miguel mais de uma vez.

Nessas aparições, o arcanjo teria pedido que fosse edificado um santuário em seu nome. Como o bispo não foi imediatamente obediente, na terceira aparição do arcanjo ao arcebispo, São Miguel teria lhe tocado na cabeça, perfurando o seu crânio com o seu dedo indicador.

Depois disso, o bispo Aubert teria iniciado as obras e chamado o lugar de Mont-Saint-Michel.

A lenda que parece sair de um filme está escrita em latim num livro do século XII chamado A Revelação.

O crânio do bispo fundador do Mont Saint  MIchel, com o furo do tamanho de um dedo, encontra-se protegido em um relicário, mas visível ao público, na igreja de Saint-Gervais d’Avranches, a apenas 35 minutos de carro do Mont-Saint-Michel.

Por tudo isso, não apenas turistas curiosos em conhecer essa maravilha da França visitam o lugar, mas também peregrinos e fiéis que buscam algum milagre, alguma dádiva através do poder do Arcanjo São Miguel.

Como chegar no Mont-Saint-Michel?

Para chegar à cidade de Mont Saint-Michel, o carro certamente será a maneira mais fácil. 

Saindo de Paris, contudo, chega-se ao Mont-Saint-Michel depois de longas quatro horas de carro. São cerca de 360km de um ponto ao outro. 

É possível fazer um passeio bate-e-volta, mas nesse caso o recomendado é sair bem cedo da capital e preferencialmente revezar o volante com alguém.

Se quiser mais comodidade, também é possível chegar de trem, parando na estação de Pontorson.

A partir de 2021, ao menos nos meses de verão, uma linha da SNCF oferece trens diretos todos os dias entre Paris (Gare Montparnassee) e Mont Saint-Michel, via Pontorson. 

Em cerca de 4 horas e 30 minutos você estará frente a frente com uma das silhuetas paisagísticas mais famosas de todo o mundo.

Mas espere, ainda há mais um trecho a percorrer do estacionamento até a entrada da vila medieval.

Quando chegar ao local, é possível utilizar vários meios para acessar o Monte Saint-Michel em si:

  • Ônibus gratuitos: são ônibus que ligam o estacionamento ao Monte Saint-Michel. Quem estaciona por ali, tem acesso gratuito a estes ônibus. A viagem dura cerca de 10 minutos;
  • Carruajes: para chegar ao Mont-Saint-Michel em grande estilo, você pode contratar carruagens puxadas por cavalos, que podem acomodar de 15 a 20 pessoas. Elas demoram cerca de 25 minutos e a viagem custa 9 €.
  • A pé: certamente a maneira mais econômica! Com uma viagem de cerca de 3 quilômetros, você levará 40 a 45 minutos para chegar à entrada do Monte Saint-Michel intramuros.
  • De bicicleta: especialmente recomendado para quem chegar de trem em Pontorson. Ali é possível alugar bicicletas para você pedalar na baía de Mont Saint-Michel.


Seguros Promo

O que visitar no Mont Saint-Michel

Antes de mais nada é bom lembrar: Mont Saint-Michel é uma cidade francesa, com seu prefeito, seu pároco, seu carteiro, seus policiais municipais, seu serviço de coleta de lixo.

Tudo isso para um pouco mais de vinte habitantes… e quase três milhões de visitantes todos os anos.

Isso significa que você dificilmente irá encontrar algum cidadão local, mas poderá fazer amigos do mundo todo num passeio de um dia pelo Mont-Saint-Michel.

Para isso, basta passear e vagar pelas vielas e aproveitar as atrações que você não pode perder: todos estarão também por lá!

Você descobre agora quais são elas:

A Abadia do Monte Saint-Michel

A visita à abadia não é obrigatória, mas seria como conhecer Roma e não ir ao Vaticano. Faz sentido pra você?  

De fato, como vimos, a abadia representa boa parte do que existe intramuros e representa a essência desse local de peregrinação com mais de 10 séculos de história.

A entrada custa 11 € por adulto com mais de 25 anos e é gratuita para crianças e adultos com menos de 25 anos. 

Se quiser saber mais sobre a história da Abadia, também pode levar um guia de áudio, pelo preço de 3 €.

As muralhas

As muralhas, edificadas durante a Guerra dos Cem Anos, deram ao Monte Saint-Michel a sua reputação de fortaleza impenetrável. 

Ao total, sete torres de observação se comunicam entre si por um trajeto que circunda o Monte Saint-Michel. 

Os caminhos são largos, muito fáceis de percorrer e permitem explorar visualmente toda a baía. 

A baía de Mont Saint-Michel

É depois que a maré baixa e a baía fica visível que os visitantes podem caminhar pelos contornos do Monte e ter uma visão extraordinária do cenário pelo lado de fora dos muros.

Mas é importante que se diga: é extremamente perigoso aventurar-se sozinho na baía, incluindo as imediações do Monte Saint-Michel.

Primeiro pela possibilidade de retorno das águas, o que acontece numa velocidade impressionante. E segundo por conta da areia movediça que está por todos os lados. 

Por isso, o passeio só deve ser feito acompanhado de guias especializados que podem ser contratados lá mesmo, na chegada ao local.

Os badulaques e restaurantes 

Assim como em San Marino ou Erice, você não poderá escapar das ruas comerciais ao chegar ao Mont Saint-Michel. 

Desvie pela escadaria secundária e vá direto à abadia, se essa não é a sua vibe.

Mas se você não sai de um local sem um souvenir nas mãos, é logo depois da entrada, à direita, que você encontra a Grand Rue e as primeiras lojas com artigos para presentes: não há como não ver.

Esses becos com lojinhas são numerosos, peculiares, para cima e para baixo: então não tenha pressa para comprar a sua réplica em miniatura do Mont-Saint-Michel no primeiro que entrar.

É também nestas inúmeras ruelas que se encontram restaurantes e museus. Se você fizer questão de um almoço especial, fique atento: alguns restaurantes oferecem terraço com vista para a baía.

> Precisando fazer transferências internacionais de dinheiro? O Conexão Europa recomenda o Remessa Online! Clique e saiba mais.

Qual a melhor época para visitar o Mont-Saint-Michel? 

O Mont Saint-Michel pode ser visitado durante todo o ano. No entanto, de março a outubro, o clima é muito melhor. 

Na alta temporada – julho e agosto – espere enfrentar filas e ter muitas pessoas dividindo as suas fotos com você.

Ah, não se esqueça de verificar no site do local a tábua das marés, que é um espetáculo à parte e pode influenciar o seu horário de visitas.

Dicas finais importantes para quem visita o Mont-Saint-Michel

Além das informações acima, há outros detalhes importantes que você deve se atentar antes de partir em direção a essa fabulosa atração:

  • No verão, para seu conforto, opte por uma visita ao final do dia. A abadia abre suas portas para você até as onze da noite; 
  • Para provar uma especialidade local, procure pela famosa omelete de Mère Poulard, preparada em tachos de cobre na frente dos clientes e assada no fogo a lenha. Se quiser fugir dos restaurantes cheios, leve a sua própria merenda e almoce com vista para a baía;
  • Se puder, faça o passeio em um dia de semana, quando o local está menos lotado de turistas;
  • Para quem vai de carro, a despesa maior é com o parque de estacionamento. Em 2021, os preços aplicáveis para veículos de passeios são de 9,80 euros na baixa estação e 14,90 na alta temporada;
  • O e-ticket para acessar a abadia pode apresentado no celular (smartphone ou tablet): faça o download dos seus e-tickets antes de sua visita (o sinal de internet não é dos melhores na entrada do monumento);
  • Reserve cerca de 1 hora para fazer o trajeto entre o estacionamento e a entrada na abadia;
  • As marés mais fortes ocorrem geralmente de 36  a 48  horas  após a lua cheia e a lua nova. A água cobre a esplanada entre a ponte pedonal e a entrada da cidade. Nessa ocasião, o Monte Saint-Michel se torna uma ilha novamente por cerca de uma hora;
  • O local é cheio de escadas, ladeiras e desníveis: calce sapatos confortáveis;
  • Não esqueça da capa de chuva, afinal, você estará na Normandia;
  • Animais de estimação são proibidos na Abadia de Mont-Saint-Michel. No entanto, você pode passear livremente no Monte a pé com animais de estimação na coleira;
  • À época da sua visita, verifique no site oficial da atração se é necessário apresentar o passe sanitário;
  • Não esqueça de contratar o seguro viagem com a Seguros Promo!

Como ainda não há previsão para que essas medidas sejam suspensas, ressaltamos mais uma vez a importância de verificar as condições especiais de visitação no momento da sua viagem.

Então, anotou tudo direitinho? 

Esperamos que as nossas dicas tenham sido valiosas para você e que você passe um dia incrível nessa maravilha da França que é Mont Saint MIchel.

Quer mais dicas de viagem pela Europa? Confira esses outros textos com destinos incríveis pela França:

As 10 atrações turísticas mais visitadas da França

Roteiro no Sul da França: o que visitar

A Rota dos Queijos AOP de Auvergne, na França

POSTS RELACIONADOS

Visitar

Mercados de Natal na França

08/11/2021
Visitar

Um dia no Mont-Saint-Michel: dicas práticas para conhecer essa maravilha da França

29/10/2021
Visitar

Lua de mel na França: 5 destinos românticos além de Paris

25/10/2021