O mercado de tecnologia pela Europa e como ser disputado por esses recrutadores

O mercado de tecnologia pela Europa e como ser disputado por esses recrutadores

19.04.2020

Você sabia que de acordo com dados do Boston Consulting Group, 87% dos profissionais de TI no Brasil estão dispostos a sair do país para trabalhar? A boa notícia é que o mercado de tecnologia pela Europa precisa dessa mão de obra e está disposta a bancar passagens, visto de trabalho, auxílios de aluguel e bons salários para conquistá-la.

Não é à toa que os brasileiros estão chegando às dezenas para trabalhar com tecnologia na Europa. Conheça um pouco do cenário que faz o mercado de tecnologia pela Europa tão encantador.

O cenário do mercado de tecnologia pela Europa

Vamos conhecer alguns dos países que mais investem em tecnologia na Europa? Conheça conheça alguns detalhes dos mercados em ascensão para profissionais de TI.

Lisboa

O baixo custo de vida, o clima ameno e a possibilidade de falar português no dia a dia são fatores muito atraentes para os brasileiros que quem quer trabalhar com tecnologia na Europa sem serem muito afetados pelas mudanças da imigração.

Porém, não pense que falar inglês se torna menos importante em Portugal: você estará trabalhando com um time multicultural de qualquer forma, então é importante ter essa skill.

A cidade é a sede da maior conferência de tecnologia do continente, o WebSummit, por pelo menos 10 anos, o que vem atraindo investidores e talentos. Além disso, os incentivos governamentais para abrir empresas na área Tech, a multiplicidade de incubadoras e a criação do Tech Visa para facilitar a contratação de quem quer trabalhar com tecnologia na Europa fazem de Lisboa um dos mercados de tecnologia pela Europa mais atraentes.

Os salários também não deixam a desejar, indo de 1500 a 3500 euros – bem mais do que a média do país e do que o necessário para se viver bem na capital portuguesa. Por lá, você encontra empresas como a Zomato, Farfetch, Unbabel, Microsoft e TripAdvisor.

Londres

De longe um dos países que mais investem em tecnologia na Europa, a Inglaterra tem a maior concentração de empresas de TI do continente e é um dos maiores hubs de tecnologia do mundo.

Por lá, alguns dos mercados em ascensão para profissionais de T.I. são na área de FinTechs, MedTechs, InsurTechs e AdTechs.

Apesar do alto custo de vida e da exigência de uma boa dose de experiência a ser comprovada, Londres oferece salários mais do que confortáveis para os profissionais de TI desfrutarem da imensidão de programas culturais que existem na cidade.

Barcelona

Enquanto a capital do país, Madri, concentra as maiores empresas, Barcelona se posiciona no mercado de tecnologia pela Europa entre os 10 principais hubs de startups do continente.

A cidade é agitada, tem muitas opções culturais, uma orla belíssima e um ritmo de vida agradável, sem horas infinitas de trabalho. Porém, apesar de você trabalhar majoritariamente com o inglês na área de TI, pode ser que você precise aprender o catalão para conseguir estabelecer laços de convivência mais fortes com a cidade.

Berlim

Berlim é um dos principais destinos dos profissionais de tecnologia por vários motivos. A cidade tem um baixo custo de vida, os salários oferecidos são bons e o país apresenta uma estabilidade econômica que traz segurança ao imigrante. Além disso, o fato da cidade ser multicultural permite que rapidamente os brasileiros se sintam à vontade pelas ruas.

A Alemanha é um dos países que mais investem em tecnologia na Europa e isso é visto em Berlim com facilidade, já que por lá surgem novas startups diariamente. Ao todo, o país já contava com 1500 trabalhadores brasileiros no setor de TI até 2018 .

Entre os setores mais procurados estão os de inteligência artificial, FinTechs, FoodTechs, MedTechs e a área de cibersegurança. Algumas empresas de referência são a MyTaxi, a Babbel e o banco N26.

Amsterdã 

Aberta à imigração e multicultural desde a sua criação, Amsterdã é uma cidade onde o inglês é tão disseminado entre os holandeses que se tornou quase uma língua nativa.

Ela é um dos mercados em ascensão para profissionais de TI pela quantidade de programas de aceleração e incubadoras disponíveis para fazer as startups darem certo, o que atraiu talentos e também investidores. Entre as empresas que você encontra por lá estão o Booking.com (com escritórios gigantescos), o WeTransfer e a Netflix.

Por que trabalhar com tecnologia na Europa?

Como o mercado de tecnologia pela Europa é uma área com pouca mão de obra disponível, o imigrante é encarado como um profissional altamente qualificado. Isso significa ganhar salários confortáveis, geralmente acima da média do país.

Além disso, a Europa é um dos principais destinos dos profissionais de tecnologia porque o continente facilita a vinda do trabalhador: eles podem trazer seus familiares e seus cônjuges também ganham vistos de trabalho, algo que é uma raridade nos EUA, por exemplo.

E se você está se perguntando como vai trabalhar com tecnologia na Europa se não tem formação na área, não se preocupe! A maioria dos países no continente exige apenas comprovação de experiência profissional na área, mas não pede diploma de ensino superior específico (como também é o caso dos EUA).

Por fim, há também a questão da qualidade de vida. Enquanto em países como EUA, Japão e Coréia do Sul as horas de trabalho costumam ser mais puxadas, o mercado de tecnologia pela Europa trabalha com leis trabalhistas mais severas, oferecendo tempo livre ao trabalhador, além do exercício profissional.

Trabalhar com tecnologia na Europa: 3 dicas infalíveis

Agora que você já conhece os países que mais investem em tecnologia na Europa, que tal saber como garantir uma vaga em um dos mercados em ascensão para profissionais de TI? Existem algumas dicas que podem te ajudar a sair na frente quando o assunto é garantir uma oferta de emprego. Confira!

Mantenha o LinkedIn atualizado

Se no Brasil essa rede social ainda não é explorada ao seu máximo potencial, na Europa o LinkedIn é a porta de entrada para ser encontrado por Headhunters de vários países. Porém, para isso, não basta estar cadastrado por lá: é preciso usar as suas redes de maneira inteligente.

Mantenha seu perfil sempre atualizado, com as suas últimas experiências e cursos feitos. Detalhe as responsabilidades que você teve em cada empresa pela qual passou e quais foram os seus maiores desafios. Não tenha vergonha de falar sobre os cases de sucesso da sua carreira e o que você aprendeu com cada um deles. 

Além disso, você precisa garantir que será encontrado. Para isso, use o recurso do LinkedIn de ter o seu perfil em mais de uma língua para uma versão em inglês. Vale também estudar quais palavras você vai usar nos títulos dos seus cargos: usar termos que estão em alta como “desenvolvedor fullstack” faz com que você apareça em mais buscas dos caça-talentos.

Aposte no inglês

Não tem jeito, quem quer trabalhar com tecnologia, principalmente no exterior, precisa ter um bom conhecimento da língua inglesa. Você deve ser capaz de conduzir uma reunião em inglês, responder a questionamentos dos seus superiores, entender orientações, acompanhar as tendências da sua área em portais de todo o mundo e, claro, estar pronto para fazer uma entrevista nessa língua. Por isso, o inglês básico não é suficiente.

Se possível, vale também fazer a prova do TOEFL, que mostra o seu nível de inglês em uma escala conhecida internacionalmente. Ela é reconhecida em todo o mercado de tecnologia pela Europa e pode te ajudar a conquistar uma vaga que você estava disputando.

Procure as vagas nos lugares certos

Trabalhar com tecnologia na Europa está cada vez mais fácil – não só os contratantes já estão acostumados a buscar mão de obra no Brasil, como há vagas de sobra em diversos países. Porém, é preciso saber onde procurar.

Além do LinkedIn, existem outros sites que oferecem um bom panorama do mercado de tecnologia pela Europa, com uma oferta de empregos e salários bem variada. Entre eles, estão o Landing.jobs e o IT Jobs, por exemplo. Vale fazer uma busca pelos principais, manter um perfil atualizado em cada um desses sites e fazer uma busca diária por novas oportunidades.

Quer trabalhar no mercado de tecnologia pela Europa?

O Conexão Europa oferece consultoria para a obtenção de vistos de residência, que pode ajudar você a traçar a melhor estratégia para garantir o seu lugar nos mercados em ascensão para profissionais de TI. Agende o seu horário e venha conhecer as suas possibilidades!

POSTS RELACIONADOS

Visitar

Culinária Suíça e seus deliciosos chocolates

22/04/2021
Empreender

Conheça os principais polos de tecnologia da Europa

09/04/2021
Visitar

Irlanda do Norte: conheça o país e suas tradições

08/04/2021