Guias turísticos pela Europa valem a pena?

Guias turísticos pela Europa valem a pena?

18.08.2021

Sim, sim e sim. Guias turísticos pela Europa definitivamente valem a pena. 

[Opinião de quem vive com um pé no minimalismo e não gasta dinheiro com (quase) nada que é superficial ou desnecessário.]

Depois de viajarmos por mais de trinta países, quase sempre numa pegada “do it yourself”, “descubra por conta própria” e “nos viramos bem sozinhos”, o que podemos testemunhar é que experiências com guias turísticos pela Europa (e pelo mundo) valem a pena em 99% dos casos.

Mas eles não são a única forma de conhecer uma cidade ou uma atração.  

Abaixo a gente fala sobre as vantagens de contar com um guia turístico na Europa, mas também relata como é viajar com a ajuda de outras ferramentas disponíveis na atualidade.

Confira!

Guias Turísticos de papel e Aplicativos Digitais valem a pena?

Confesso. Bate até saudade em lembrar da época em que planejávamos uma viagem apenas lendo revistas especializadas e consultando as páginas de um Lonely Planet. 

Os guias escritos condensavam todas as informações importantes, como distância de um ponto ao outro, número DDI para ligar para o Brasil de orelhões (!), além, é claro, de relacionar os principais hotéis, restaurantes e pontos turísticos da cidade. 

Sem celular com aplicativos na palma da mão e muito menos conexão com internet, era carregando guias de viagem pesados e mapas de papel cheios de marcações que viajávamos quinze anos atrás.

Apesar dos guias persistirem como artigo de decoração nas prateleiras, as versões digitais hoje são muito mais práticas. Triposo, Spotted by local, Musement,Tripadvisor e o próprio Google Travel estão a um clique da nossa próxima atração.

Contudo, da nossa experiência, temos que esses guias servem muito bem para termos uma orientação geral sobre o lugar, mas não para desfrutá-lo com profundidade, aproveitando-o ao máximo. 

Além disso, as informações constantes em plataformas e aplicativos de grande alcance, perdem aquele caráter de exclusividade que a gente tanto gosta.

Afinal, quem quer disputar um lugarzinho com uma multidão – e ficar estressado no lugar de se divertir – na “melhor” casa de fado de Lisboa ou no “mais tradicional” bar de Tapas de Barcelona?

Áudio Guias

Aqui nos referimos aos áudios gravados que ficam à disposição do turista ao visitar certas atrações. Eles estão sempre disponíveis por um precinho camarada nas entradas de museus, castelos, igrejas e mesmo nos ônibus de city tour.

A vantagem desses dispositivos é que eles geralmente estão disponíveis na sua língua materna, o que é de grande utilidade para quem só fala português. Outra vantagem é que eles permitem que você passeie e observe o monumento com bastante liberdade, no seu ritmo, sem precisar se ajustar ao movimento de um grupo de pessoas. 

Por outro lado, a informação já vem pronta pra você, não é possível interagir, nem tirar dúvidas… Isso pode ser um pouco frustrante, especialmente em lugares sobre os quais você já leu bastante, conhece bem na teoria e você sempre sonhou em conhecer.

Guia Turístico em vídeo

Esse é um tipo de serviço relativamente novo, que conta com a expertise de quem já viajou muito. Nós ainda não conhecemos, mas quem já testou garante que vale a pena!

O guia em formato de vídeo é gravado por um especialista que divide dicas e um passo a passo para descobrir lugares e segredos bem guardados de destinos turísticos.

Para quem quiser viajar para Lisboa, Praga, Roma, Barcelona, Porto ou a Costa Amalfitana pode ter a viagem planejada nesse método pela Go Europa, do brasileiro Daniel Ribeiro.

Segundo o portal, os vídeos dele reúnem informações bem interessantes dessas cidades, como, por exemplo: 

  • Guia de restaurantes mais típicos e históricos;
  • Walking tour direcionado para aproveitar o melhor do dia a dia;
  • Melhores formas de ir do aeroporto para cidade;
  • Principais cidades para fazer bate e volta;
  • Atrações e lugares que poucos turistas conhecem;
  • Como se locomover na cidade;
  • Informações culturais e históricas sobre as principais atrações e
  • Melhores regiões para hospedagem.

Um jeito novo de planejar sua viagem e curtir os lugares antes mesmo de sair de casa.


Seguros Promo

Guia Turístico local

Eles são geralmente bem humorados, solícitos e têm o talento de transformar um passeio “qualquer” em uma jornada inesquecível.

E isso porque os guias turísticos locais têm invariavelmente uma grande qualidade: uma genuína paixão pela cidade ou pela atração onde trabalham. 

Eles conhecem os lugares como a palma das mãos, são contadores de histórias, especialistas em arquitetura, historiadores da arte e amantes da gastronomia típica.

A cada passo e a cada história contada por esse profissional você se envolve mais e mais com lugares que, de outra forma, poderia passar batido durante a sua viagem.

Por isso tudo, acreditamos que vale a pena ter a companhia e a ajuda de um guia turístico em uma viagem pela Europa, sobretudo se:

  • você está com pouco tempo: os guias te levarão aos pontos imperdíveis da cidade otimizando as suas horas;
  • a atração é muito procurada: guias geralmente tem acessos especiais, longe das longas filas;
  • você estiver visitando grandes locais e monumentos históricos: isso vale tanto para atrações como o Louvre, ou complexos ao ar livre, como a cidade de Pompeia. Acredite, pode ser confuso visitar esses lugares imensos por conta própria;
  • você quiser desbravar belezas naturais mais radicais: é altamente recomendado o acompanhamento de um guia se for esquiar pela primeira vez em Chamonix ou fazer trekking no vulcão Etna.

Em resumo, ter um guia por perto é como ter um coaching cultural por um dia, que te faz descobrir a história e as características dos lugares com compreensão mais profunda e uma visão completamente apaixonada. E por isso, eles valem muito a pena!

Passeio guiado: em grupo ou individual?

Antes de escolher entre uma visita guiada em grupo ou individual  é preciso ter em conta alguns aspectos, tais como: tempo disponível, o orçamento reservado para esse serviço, o grau de importância dada à exclusividade e a personalidade de cada viajante.

Deixe eu explicar melhor com exemplos.

Em Florença, tivemos a oportunidade de conhecer os principais pontos da cidade na companhia de uma guia brasileira, que mora na Itália há muito anos. Éramos só nós dois e ela e foi perfeito! A guia desenhou um tour todo personalizado, mostrando os lindos monumentos de Florença, mas voltado toda a sua história para a gastronomia, nossa principal área de interesse.

Nesses casos, o valor do serviço do guia costuma ser mais alto, mas o dia é muito melhor aproveitado e você ganha um roteiro com a sua cara.

Em outra situação, já em Amsterdã, fizemos uma visita guiada pela cidade com um grupo de umas vinte pessoas. E foi igualmente sensacional! Havia turistas de vários países, de todas as idades. 

Claro, era preciso ter paciência para esperar algumas pessoas que se dispersavam entre as vitrines dos cafés, outros que precisavam ir ao banheiro e até mesmo para conseguir ouvir o que o guia falava em meio a tanta gente.

Mas, ao mesmo tempo, era super interessante ouvir os pontos de vista de outras pessoas sobre um mesmo objeto, monumento ou fato histórico; a cada pergunta, se fazia mais rico o passeio. Isso sem contar na conexão que se estabelecia entre as pessoas que tinham acabado de se conhecer. 

Enquanto caminhávamos entre um ponto e outro, as pessoas trocavam ideias, faziam amizades, combinavam de tomar um drink mais tarde. E isso você não terá se quiser um guia turístico só pra você.

Em qualquer caso, ter a companhia de um guia turístico é sempre muito valioso, especialmente se for a sua primeira vez na cidade. Eles farão questão de te indicar os melhores endereços, aquele pub com música boa, aquela galeria com entrada gratuita ou um restaurante com comida típica que só os locais conhecem. 

O mesmo vale para atrações específicas. Apreciar os afrescos da Capela Sistina com as informações em tempo real de um guia que estudou a fundo toda a sua história torna a experiência ainda mais mágica.

Então é isso: se você está pensando em contratar um guia turístico local, vai sem medo!

Mas, antes, um conselho: para ter uma experiência autêntica e inesquecível, procure sempre por guias de turismo credenciados. Eles estudam muito as atrações, passam por provas de avaliação de conhecimento, e estão preparados para receber visitantes. 

Além disso, procure preferencialmente por profissionais que possuam um site na internet ou rede social ativa. Assim você conseguirá ver as avaliações de outros viajantes antes de contratar os serviços.

No mais, é só relaxar e aproveitar! Boa viagem!

Você também poderá se interessar por:

Primeira vez em Málaga: O que visitar?  

Dicas para um roteiro em Munique

7 dias pela França: Roteiro Completo

POSTS RELACIONADOS

Visitar

6 cidades europeias incríveis para visitar pós-pandemia

23/09/2021
Visitar

Guias turísticos pela Europa valem a pena?

18/08/2021
Visitar

Como encontrar a melhor passagem aérea

08/08/2021