Gastronomia na Europa: experiências inesquecíveis para todos os bolsos

Gastronomia na Europa: experiências inesquecíveis para todos os bolsos

16.03.2020

Para quem está com as passagens compradas para o velho continente, aí vai uma boa notícia: é possível encaixar um roteiro gastronômico bacana, conhecendo o melhor da gastronomia na Europa, de acordo com o seu orçamento. 

Comer definitivamente é uma das melhores coisas dessa vida e durante uma viagem esse simples ato cotidiano ganha uma importância muito maior. Ao provar a comida local nos inserimos na cultura do país e acabamos por aprender um pouquinho mais sobre as pessoas, os gostos e as tradições do nosso destino. 

É por isso que dizemos sempre que não existe viagem perfeita sem uma experiência gastronômica que te deixe com o estômago cheio, a alma contente e uma recordação sensorial para lembrar para sempre. E essa felicidade gourmand, amigos viajantes, é completamente democrática e universal. É possível vivenciá-la em quaisquer países da Europa – e do mundo -, com qualquer orçamento, basta ter algumas dicas em mente.

COMENDO BEM E GASTANDO POUCO NA EUROPA: qual é o milagre?

Para quem quer gastar pouco e comer bem as opções mais acessíveis do nosso roteiro gastronômico são as refeições combinadas, em que o restaurante sugere alguns pratos que estarão com um preço especial naquele dia. Os valores variam muito de acordo com o país de destino, mas é possível encontrar preços bons mesmo em grandes cidades turísticas. As ofertas geralmente estarão em um grande letreiro ou quadro negro do lado de fora do estabelecimento: é só ficar de olhos bem abertos. 

Na Itália, por exemplo, procure pelos menus di lavoro, o cardápio do trabalhador. Por cerca de €12 é possível comer muito bem (muito bem mesmo!) em Osterias e Cantinas mais simples, com aquela decoração de casa da nonna, quase sempre com direito a uma taça de vinho da casa. Se estiver na França, busque pelas formules oferecidas pelos Cafés, Bouchons, Winstubs ou Brasseries, os restaurantes que servem comida tradicional em porções generosas. Em geral, é possível escolher entre a fórmula “entrada + sobremesa” ou “prato principal + sobremesa”. 

Para se ter uma ideia, no Bouchon Le Poêlon d´Or, restaurante típico que fica num prédio histórico no centro de Lyon, uma formule com salada e prato principal super tradicional com fígado de galinha sai por 18€. As mesmas opções no cardápio normal sairiam por 21€. A dica vale também para quem está indo para a Bélgica. Por lá, procure por um lunch menu. É possível pagar apenas 15€ por um almoço com sopa e um prato com carne na Brasserie Leffe, com direito à vista para uma das lindas praças no centro de Bruges. Fora da promoção, um prato individual com carne não sai por menos de 17,50€ no mesmo lugar.

Ainda está salgado? Bem, se você procura por preços ainda mais baixos, as “comidas de rua” são sempre ótimas opções. Além disso, as comidas populares tem a vantagem de agradar um número maior de paladares. Onde encontrá-las? Apesar do nome, as “street foods” – conhecidas por serem comidas prontas, rápidas e fáceis de comer com a mão – não necessariamente são vendidas na rua na Europa. Aliás, em muitos lugares há proibição de venda de comida na rua, a menos que esteja numa feira, mercado público ou evento específico. Portanto, se quiser encontrar a comida de rua típica do seu destino na Europa, procure por esses locais públicos que costumam concentrar vendedores previamente cadastrados pelo município. 

Além disso, muitos restaurantes incorporam no cardápio uma opção de comida ligeira, típica e com valores convidativos. Em Hamburgo, uma boa pedida é comer um Backfisch no Brücke 10, um bar/restaurante super descolado à beira do Rio Elba. O Backfisch é um sanduíche típico feito com um belo filé de peixe branco empanado e frito que vale uma refeição. Ali também há opções de sanduíches de camarão, salmão e até de rollmops por preços que variam de 4 a 10€. Já em Nápoles, não deixe de provar a autêntica pizza napolitana no restaurante animado do famoso pizzaiolo Gino Sorbillo por apenas 4€! 

Na dúvida – e abrindo mão dos sabores autênticos locais – procure por um bom Kebab: eles estão em todos os lugares, são baratinhos, generosos e raramente decepcionam.

Por fim, se a sua vibe for um mochilão pela Europa super econômico, um supermercado é a chave para que você encaixe a alimentação dentro do orçamento e ainda tenha uma experiência gastronômica local. Na França, por exemplo, é possível comprar bons queijos como brie e camembert por 1€. Excelentes baguettes podem ser compradas por menos de 0,40€. Um delicioso patê en croûte – produto da charcutaria tradicional francesa – sai em torno de 1,50€. Conseguiu imaginar o tamanho e o sabor do sanduba pagando apenas 3€? Se quiser, ainda é possível acompanhar a refeição com um vinho nacional, pagando, ao todo, míseros 6€. E tudo com produtos típicos, locais, sem precisar recorrer às cadeias de fast food. 

Dica bônus: não esqueça de ter sempre uma faquinha e um saca rolhas na mala para facilitar nessas ocasiões – compre quando chegar ou despache no embarque, já que são itens proibidos na mala de mão.

ABRINDO A MÃO: para quem quer experiências únicas na hora de comer

Já para quem está disposto a ter uma experiência melhor, pagando por isso, opções não faltam na Europa. O problema é que preço alto não é garantia de comer bem! E economizar dez euros pode fazer a diferença entre aquele jantar dos sonhos e uma grande decepção. Por isso, se você é do tipo exigente, que procura uma experiência gastronômica única, nossa recomendação são os restaurantes estrelados pelo Guia Michelin. A bíblia da gastronomia mundial relaciona os melhores restaurantes em quase todos os países da Europa de acordo com critérios rígidos que não costumam falhar.

Nesse caso, além de conferir o saldo do cartão de crédito, lembre-se apenas de reservar com muita antecedência. Lugares como a Osteria Francescana – onde um menu com a sequência de 12 pratos criados pelo grande chef Massimo Bottura, em Módena, na Itália, custa €290 – ou o triplamente estrelado Mirazur, do top chef Mauro Colagreco, na Côte D´Azur (menu completo disponível por € 260), pedem pelo menos 4 meses de antecedência na reserva. 

NEM 8, NEM 80: roteiro gastronômico na Europa na medida certa

Se você é do time dos que não querem morrer com o orçamento da viagem em um único jantar, mas ainda assim reserva um dinheirinho bacana para comer bem, saiba que há excelentes opções entre os restaurantes classificados como Bib Gourmand. Nessa seleção, o Guia Michelin traz estabelecimentos que combinam culinária de qualidade com ótimos preços. Na seleção dos Bib Gourmands de Paris, por exemplo, os restaurantes oferecem pelo menos um menu (entrada, prato principal e sobremesa) por um máximo de €38.

Já na Itália, os menus dos estabelecimentos Bib Gourmand não podem ultrapassar €35. É o caso do menu – com direito a massa artesanal e muitos frutos do mar fresquinhos – do restaurante Lo Stuzzichino, na paradisíaca Península Sorrentina e, ainda, do aconchegante Me Cumpari Turiddu, restaurante localizado em Catânia, que por um preço acessível oferece os melhores produtos da Sicília.  

Na Europa é assim: para cada viajante, há uma experiência gastronômica sob medida! Pagando pouco ou desembolsando muito, lembre-se apenas de que uma refeição é sempre uma deliciosa oportunidade de viver uma experiência inesquecível durante a sua viagem. Boa viagem e bom apetite!

POSTS RELACIONADOS

Visitar

Irlanda do Norte: conheça o país e suas tradições

08/04/2021
Visitar

Edimburgo na Escócia: castelos e monumentos

05/04/2021
Morar

Conheça as principais faculdades da Europa

27/03/2021