Entenda as diferenças de idiomas na Bélgica

Entenda as diferenças de idiomas na Bélgica

30.01.2022

Morar na Europa é ter acesso a diversos línguas, entenda quais as diferenças de idiomas na Bélgica.

As pessoas que residem na Bélgica podem, constitucionalmente, escolher qual idioma querem falar. Porém, o país europeu tem três idiomas que são utilizados pelas autoridades políticas para tratar de assuntos públicos. Entenda tudo sobre as diferenças de idiomas na Bélgica.

Diferenças de idiomas na Bélgica

As autoridades políticas utilizam o francês, o alemão e o holandês quando precisam tratar de assuntos públicos. Embora a constituição belga não explicite essas línguas como oficiais, o documento afirma que a Bélgica conta com quatro áreas linguísticas: a de língua francesa, a de língua alemã, a de língua holandesa e a capital bilíngue de Bruxelas.

A Região Flamenga, a Comunidade Flamenga e a Região da Capital falam o holandês como língua oficial, tornando-se a língua mais falada no país. Segue-se o francês, que é falado pela Comunidade Francesa, a região da Valônia e a Região da Capital. 

É a língua nativa de 40% da população. O alemão é a língua oficial menos falada e apenas 1% da população a tem como língua nativa. É usado principalmente pela Comunidade de língua alemã, que conta com 77.000 pessoas.

Morar na Bélgica: veja os tipos de vistos, o custo de vida e o mercado de trabalho.

Línguas regionais da Bélgica

Se você está achando confuso, calma. Vai piorar. É que além da língua oficial, a Bélgica também possui várias línguas regionais ou não oficiais. Algumas delas estão intimamente relacionadas com o francês, embora a comunidade francesa as tenha reconhecido como línguas distintas.

Essas línguas são o Valão, Picard, Champenois e Lorrain. Valão é a língua tradicional das regiões do sul da Bélgica e foi originalmente falada pelos valões, uma comunidade étnica. Hoje, a geração mais velha fala essa língua, já os mais novos não aprenderam e perderam a fluência. Picard e Champenois são falados na região da Valônia do país e Lorrain em Gaume, localizado no sudeste.

Além disso, existem algumas outras línguas regionais de natureza germânica. Low Dietsch, por exemplo, é falado no nordeste do país no Ducado de Limburg. Esta língua é semelhante ao alemão falado na região de língua alemã. No país também é falado o luxemburguês, principalmente na província oriental de Luxemburgo, apesar de já ter sido substituído pelo francês belga. Ainda é falado no Grão-Ducado do Luxemburgo.

Para dar o toque final na salada de diferenças de idiomas na Bélgica, o iídiche é falado pelos judeus asquenazes. Eles formam uma pequena população de cerca de 20 mil pessoas que vivem na Antuérpia. Esta comunidade é uma das poucas que restam no mundo que ainda fala iídiche como idioma principal.

Conheça Antuérpia na Bélgica e saiba o que visitar na incrível cidade belga.

Línguas estrangeiras da Bélgica

A Bélgica também recebeu imigrantes de vários países nas últimas décadas. Os novos habitantes do país trouxeram muito mais do que malas, mas seus costumes e suas línguas. Desse modo, algumas das línguas estrangeiras mais comuns falados na Bélgica estão o berbere, o árabe, o espanhol, italiano, português, turco, grego, polonês e inglês. Claro que destes idiomas o inglês é que é amplamente falado.

Legislação linguística belga

Acredite que a confusão não é só para quem é de fora do país. Por isso, para que você entenda as diferenças de idiomas na Bélgica saiba que por lá existem debates acalorados em torno do tema e da difícil decisão de quais idiomas é que devem ser considerados como oficiais pelo menos desde o ano de 1830.

Sendo assim, a legislação linguística da Bélgica foi sendo mudada ao longo dos anos. Durante o século XIX, por exemplo, os tribunais e o governo falavam o francês, a língua das elites. Contudo, isso era uma grande desvantagem para as comunidades do norte do país que não falavam e dominavam o francês.

E a questão era (e continua sendo tão séria e delicada) que o movimento flamengo iniciou uma tentativa de tornar a língua holandesa como a oficial do país. É verdade que o movimento teve algum sucesso em Flandres em 1873. Poucos anos depois, em 1878, foi declarado que os anúncios públicos feitos por autoridades em Bruxelas deveriam ser feitos em holandês ou em holandês e francês.

A educação bilíngue foi introduzida no país em 1883. Todavia, entre 1921 e 1962, a Bélgica decidiu atuar utilizando o princípio da territorialidade. Com isso, determinava que a língua falada pelos funcionários do governo seria baseada na região onde estavam. Os belgas que não falavam a língua da região seriam incapazes de se comunicar com os funcionários públicos.

Foi então que em 1962, a legislação foi ainda mais esclarecida, definindo a linguagem a ser usada em cada município. Declarou ainda que, se uma minoria que falasse uma das línguas oficiais residisse num município de outra língua, poderia solicitar serviços públicos na sua própria língua.

Em 1970, essas regiões linguísticas foram estabelecidas na Constituição da Bélgica. As disputas sobre a língua continuam hoje no país, pois a liberdade da língua que está na Constituição se estende apenas ao lar privado.

Roteiro pela Bélgica: saiba o que visitar no país europeu.

Quais os idiomas mais falados na Bélgica?

Em primeiro lugar aparece o holandês. O idioma é a primeira língua de ao menos 55% da população e segunda língua de 13% dos cidadãos que vivem na Bélgica. Em segundo lugar está o francês e 36% dos belgas usam o idioma como primeira língua e 45% como segunda língua. 

Em terceiro lugar está o alemão que é falando por 0,4% das pessoas que residem na Bélgica e que utilizam a língua como primeira, porém o número chega as 22% das pessoas que utilizam o alemão como segundo idioma. O inglês é o segundo idioma para 55% dos belgas e o espanhol para 5%.

Aproveite para ler também: como visitar de graça os principais museus da Europa.


Seguros Promo

POSTS RELACIONADOS

Morar

Ranking de segurança na Europa

26/02/2022
Morar

Europa para nômades digitais

16/02/2022
Visitar

Reabertura da Dinamarca: já podemos mesmo arrumar as malas?

01/02/2022