Conheça os principais polos de tecnologia da Europa

Conheça os principais polos de tecnologia da Europa

09.04.2021

Você trabalha na área da tecnologia e está de olho em um emprego na Europa?  Em algumas regiões do velho continente as oportunidades no segmento são mais abundantes, já que concentram um grande número de empresas de inovação tecnológica e digital. 

Esses centros ou polos de tecnologia abrigam profissionais do mundo inteiro com a missão de melhorar e modernizar serviços, produtos e processos.

Estamos falando a sua língua? 

Então descubra agora onde ficam os principais polos de tecnologia da Europa!

BARCELONA| Espanha

Barcelona

Com um parque de ciência e um parque tecnológico, Barcelona está no topo, junto com Madrid, das cidades espanholas mais atuantes no campo da tecnologia da informação. Na cidade de Miró, as áreas mais promissoras estão na engenharia avançada, como a de tecnologia médica.

Mas há oportunidades em outras áreas. 

Segundo o Activa Park Tecnològic, o centro reúne hoje 43 empresas que trabalham com telecomunicações, audiovisual, biotecnologia e energias renováveis.

No total, as empresas instaladas no Parque Tecnológico de Barcelona geram 28 milhões de euros em volume de negócios ao ano, criando mais de 400 empregos.

DRESDEN | Alemanha

Dresden

Conhecido como o Vale do Silício do Leste Europeu, a cidade de Dresden, na Alemanha, é um dos polos de alta tecnologia mais avançados da Europa, liderando os setores de microeletrônica, tecnologias de informação e comunicação, biotecnologia, nanotecnologia e fotovoltaica. 

Esses setores inovadores complementam outros de veia mais tradicional, como a engenharia mecânica, no setor aeronáutico e automotivo, bem como na indústria farmacêutica. 

Os desenvolvimentos e o progresso dessas  indústrias são alimentados pela variedade de instituições de pesquisa sediadas em Dresden, como é o caso da AMD – Advanced Micro Devices, a empresa fabricante de circuitos integrados, concorrente direta da Intel.

Um a cada dois microprocessadores produzidos na Europa vem de lá, graças ao polo de microeletrônica local, com milhares de empresas e funcionários trabalhando neste setor.

HAMBURGO |Alemanha

Hamburgo

Para quem busca por grandes nomes, Hamburgo hospeda gigantes da tecnologia como Google, Facebook, Twitter, Yelp, Microsoft e Airbnb.

Além disso, a cidade alemã é o paraíso para quem trabalha com Fintech, a área da tecnologia que se alia ao cenário financeiro, bancário e de comércio eletrônico.

NICE | França

Nice

Sophie Antipolis é o primeiro parque tecnológico criado na França, em 1969, e segue sendo até hoje o parque tecnológico francês mais reconhecido internacionalmente. 

Segundo o parque, o complexo reúne líderes mundiais, pesquisadores e startups das empresas de tecnologia de ponta e expertise nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação, em especial Internet das Coisas e Veículos Conectados, Biotecnologias e Ciências da Terra e Energia.

São mais de 24000 m² com localização privilegiada na Côte d´Azur, a disposição de 2500 empresas que contemplam milhares de empregados de empresas como:

  • Amadeus, 
  • Cisco Systems, 
  • Dassault Systems, 
  • Orange, 
  • Hewlett Packard, 
  • Nvidia, 
  • Intel, 
  • Symantec, 
  • Air France, 
  • American Express, 
  • Toyota, 
  • Samsung, 
  • Huawei

Ainda de acordo com o empreendimento, a cada ano, são criados, em média, 800 novos empregos no tecnopolo, sendo que o setor de tecnologia da informação representa 20% de todas as empresas e 42% dos empregos.

Além disso, 20% dos especialistas franceses nos campos de Pesquisa & Desenvolvimento e Inteligência Artificial trabalham em Sophia-Antipolis e em Nice – mais do que em qualquer outra cidade francesa.

VENEZA | Itália

Veneza

Na Itália, os principais polos tecnológicos estão na região norte.

Em Veneza, o Vega Venice Gateway for Science and Technology, abriga 200 empresas atuando nos setores mais avançados de inovação tecnológica: Nanotecnologias, Tecnologia da Informação e Comunicação e Economia Verde.

São centenas de profissionais recrutados por empresas nacionais de tecnologia e multinacionais como a Maersk.

LISBOA| Portugal

Lisboa

Polo tecnológico emergente da Europa, Portugal está de portas abertas para profissionais de tecnologia que desenvolvam atividade na área da tecnologia e inovação e que queiram trabalhar por lá.

A exemplo dos países vizinhos, Portugal tem o seu próprio parque tecnológico, o LISPOLIS, localizado na capital, Lisboa.

Das 126 empresas instaladas no Polo de Tecnológico de Lisboa, 44% são da área de tecnologia, informação e comunicação. 

Mas vem novidades – e mais empregos – na área tecnológica em Portugal.

Só no primeiro trimestre de 2021 foram anunciados dois projetos de peso para elevar o país à condição de principal polo tecnológico da Europa.

O primeiro foi o Innovation District, um projeto da Universidade NOVA  de Lisboa que cria uma “cidade de inovação” em Almada, região da grande Lisboa. O espaço que terá o objetivo de criar uma comunidade criativa e sustentável pretende atrair empresas de tecnologia e profissionais de alto nível que queiram trabalhar e morar na cidade. 

O segundo projeto é de iniciativa da Comunidade Europeia e visa competir com outras áreas geográficas na inovação tecnológica do mundo. 

Chamada de “Europa Startup Aliança das Nações”, a estrutura europeia dedicada ao empreendedorismo ficará permanentemente em Lisboa. 

A missão dos países do bloco com o projeto é apoiar a criação e o crescimento de startups, atrair investimento e impedir a fuga de talentos para outros mercados.

Portanto, para quem é da área de tecnologia e pretende conseguir uma colocação no mercado europeu na língua materna pode comemorar: grandes oportunidades estarão batendo à porta em pouco tempo.

AMSTERDÃ | Países Baixos

Amsterdam

Com a internet mais rápida de toda Europa,  localização estratégica e incentivos governamentais ao crescimento do cenário tecnológico, Amsterdã é considerada um importante polo de startups e investidores, bem como de profissionais da área da tecnologia.

De acordo com a Esties Executives, empresa holandesa especializada em recrutamento de profissionais de TI, Amsterdã possui mais de 578 empresas internacionais de Tecnologia da Informação e Comunicação, 170 das quais escolheram Amsterdã como sua sede. 

Entre elas estão muitas empresas do Vale do Silício, incluindo Google, Uber, Salesforce e Cisco. Entre as empresas nacionais de classe mundial com sede em Amsterdã estão Booking.com e WeTransfer.

DUBLIN | Irlanda

Dublin

A sede europeia do Google, Twitter e Facebook, também apresenta um cenário tecnológico próspero. 

A famosa área das docas do Grande Canal é até mesmo chamada de “Doca do Silício”, graças à abundância de empresas de tecnologia localizadas ali.

COPENHAGUE| Dinamarca

Copenhague

A capital da Dinamarca respira cultura tecnológica com a presença de instituições de ensino voltadas exclusivamente para o desenvolvimento de software, ciência de dados, fintech e a tecnologia verde – tecnologia que visa combater as mudanças climáticas.

Além disso,  ao norte da cidade fica o DTU Science Park, o espaço referência em  tecnologia da Dinamarca. O DTU Science Park compreende mais de 290 empresas e mais de 4.000 pesquisadores, empresários, desenvolvedores de negócios e funcionários empreendedores ligados especialmente ao segmento de biotecnologia e hardware. 

ESTOCOLMO | Suécia

Estocolmo

De acordo com a Invest Stockholm, a capital da Suécia produz “mais empresas de bilhões de dólares per capita do que qualquer outra região do mundo depois do Vale do Silício”. 

Mais de 350 empresas de tecnologia estão em Kista, um distrito no subúrbio de Estocolmo, hoje reconhecido como o mais importante cluster industrial e centro tecnológico da Europa.

Entre as empresas destacam-se a empresa sueca Ericsson, gigante das telecomunicações, e outras como a IBM, Nokia, HP, Microsoft, Intel e Oracle.

CAMBRIDGE | Inglaterra

Cambridge

O Cambridge Science Park é um dos parques científicos mais antigos do Reino Unido. O complexo reúne 130 empresas de peso, entre elas, Bayer, Toshiba, AstraZeneca e Huawei.

O centro de inovação tecnológica mais importante da Inglaterra possui cerca de 615.000m² e emprega 7.250 pessoas nas áreas de:

  • redes de computadores;
  • biotecnologia;
  • desenvolvimento de softwares;
  • computação científica.

Segundo o portal do centro tecnológico britânico, os seus profissionais estão trabalhando em tecnologias que podem mudar vidas, desde medicamentos personalizados e diagnósticos de câncer não invasivos até inteligência artificial, Internet das Coisas e conectividade. 

Como você viu, não importa qual seja sua especialidade ou nicho, há muitas oportunidades para profissionais de tecnologia na Europa, especialmente com a nova realidade que se apresenta.

A pandemia forçou empresas e colaboradores a aderir ao universo online da noite para o dia, acelerando inevitavelmente o desenvolvimento de novas tecnologias: a inovação digital nunca foi tão essencial.

A aposta, portanto, é que veremos uma aceleração do crescimento das empresas de tecnologia na Europa, não apenas nesses hubs que mencionamos, mas também em locais menos óbvios e longe das grandes capitais que agora estarão aptos a mostrar seu potencial como polo tecnológico.

Seguiremos de olho nessas mudanças e nas novidades para compartilhar tudo o que descobrimos sobre morar, viajar, trabalhar e empreender na Europa com você por aqui.

Abraços e até o próximo post!

Você pode se interessar também por:

POSTS RELACIONADOS

Visitar

6 cidades europeias incríveis para visitar pós-pandemia

23/09/2021
Visitar

Guias turísticos pela Europa valem a pena?

18/08/2021
Visitar

Como encontrar a melhor passagem aérea

08/08/2021