Principais cidades e custo de vida na Espanha

Principais cidades e custo de vida na Espanha

25.06.2020

Com um bom salário mínimo e o baixo custo de vida na Espanha, em comparação com demais países europeus, o país é de fato uma excelente opção para quem deseja ter uma experiência no exterior.

A Espanha é o destino preferido de muitos brasileiros, seja para visitar, estudar, trabalhar ou residir com rendimentos do Brasil. A economia do país é a décima quarta do mundo e sua capital, Madrid, está entre as cinco maiores potências econômicas europeias.

Por isso, neste artigo, separamos algumas informações úteis para quem deseja morar na Espanha, sobre as principais cidades e o custo de vida no país.

Como é organizada a Espanha?

A Espanha é uma monarquia parlamentarista composta por cinquenta províncias distribuídas entre dezessete Comunidades Autônomas e duas Cidades Autônomas, sendo a maioria em território europeu. Mas, fora da Europa, a Espanha possui território em um conjunto de ilhas no continente africano, as Ilhas Canárias, e nas Cidades Autônomas de Ceuta e Melilla, no norte do Marrocos.

Como no Brasil, há uma diversidade regional de sotaques (até de línguas diferentes), cultura, hábitos e também de desenvolvimento econômico. Por isso, na hora de escolher onde morar na Espanha, é importante saber como se organiza o país e quais são as características de cada região.

Quais são as principais regiões e suas características?

Como vimos, a Espanha tem a divisão territorial e administrativa através das Comunidades Autônomas (e das duas Cidades Autônomas), que possuem autogoverno. Essas Comunidades, por sua vez, são divididas em províncias, que são constituídas pelos municípios. 

Podemos citar como principais Comunidades Autônomas: a região central de Madrid; Galícia, ao norte; Andaluzia, ao sul; Catalunha, ao leste; e País Vasco, ao nordeste.

Em termos econômicos, Galícia e Andaluzia podem ter um ritmo mais desacelerado, em comparação com estas outras regiões citadas. E ambas são extremos, em termos de clima, já que o sul da Espanha é super quente e buscado pelas maravilhosas praias, enquanto na Galícia faz muito frio. Mas, isso não significa que lá não haja excelentes praias a serem curtidas no verão, até porque a costa galega é extensa.

Lembre-se que na Galícia, Catalunha e País Vasco há línguas próprias e oficiais, além do espanhol. Também existem outras línguas faladas na Espanha, em menor escala.

Quais cidades são mais buscadas?

Começando pela capital, Madrid é um importante polo econômico com um mercado de trabalho para estrangeiros bastante desenvolvido. A cidade está localizada no centro do território peninsular. Mas, por ser a capital, o valor dos aluguéis também é bem mais elevado, ultrapassando os 1.000 euros para um apartamento inteiro de dois ou três quartos, nos bairros mais centrais.

Sempre há a opção de alugar apenas um quarto, ou buscar bairros mais afastados e a vantagem é que a rede de transportes públicos é bem ampla. Assim, você até pode encontrar um piso por 700 ou 800 euros, que esteja um pouco mais afastado ou seja menor.

Barcelona é a segunda cidade mais buscada, em competição acirrada com Madrid. Parece que o catalão não é um empecilho para quem prefere o clima mais festivo e praiano barcelonês. Mas, para além da praia, a capital da Catalunha é muito desenvolvida e possui uma grande oferta de emprego. Claro que a grande procura faz elevar os preços e também os requisitos para que os proprietários aluguem para estrangeiros.

Se você quiser saber com mais detalhes sobre esse dilema Madrid vs. Barcelona, esse texto aqui é para você.

Outras excelentes opções

No entanto, nem tudo se resume a esses dois destinos, porque a Espanha tem muitas cidades excelentes! Perto de Barcelona, uma cidade muito buscada é Valência, com preços mais convidativos e uma excelente infra-estrutura e oferta de emprego.

Mas, se você busca qualidade de vida e excelentes preços, comece a considerar também as cidades andaluzas, como Sevilla, Granada e Málaga. Os preços dos aluguéis podem variar entre 600 e 900 euros, sendo mais elevado nessa última cidade super turística e perto de praias incríveis, mas esses municípios são grandes e você pode achar preços bem diferentes em cada bairro.

Praça da Espanha
Praça da Espanha, Sevilla

Os brasileiros costumam buscar bastante a região da Galícia, indo morar em cidades como Santiago de Compostela, Pontevedra ou Vigo. Pode não haver tanta oferta de trabalho, mas o custo de vida é bem menor e há a facilidade do idioma galego, muito parecido com o português, fora os laços culturais (muitos brasileiros são descendentes de galegos). Então, se o frio não for um problema, considere ir viver ao norte da Espanha também.

Não podemos nos esquecer de Salamanca, cidade universitária, por muitos séculos centro intelectual do país e muito buscada até hoje por jovens e pessoas de todas as idades, estando ao noroeste da Espanha, na região de Castela e Leão (Castilla y León).

Morar nos arredores das grandes cidades

É interessante ressaltar, igualmente, que nos arredores das grandes cidades há municípios menores, os chamados pueblos, onde os aluguéis são muito mais em conta. E, pela ótima estrutura de transporte, em alguns minutos é possível chegar aos centros urbanos.

Então, se você optar por residir em um município menor no entorno de Sevilla, por exemplo, poderá alugar um apartamento ou uma casa por 500 euros (ou menos), chegando de metrô em aproximadamente vinte minutos ao centro da capital sevilhana.

A significativa redução do valor do aluguel e também do preço para compra de imóveis pode se aplicar a todas as demais províncias e isso melhora significavelmente o custo de vida na Espanha. De fato, muitos escolhem viver nos arredores das capitais e conseguem economizar bastante assim. Graças à boa mobilidade e infra-estrutura, isso é possível.

Dependendo da região, a opção por morar em um município vizinho pode até significar a necessidade de ter um carro. Mas, em geral, a oferta de transporte público é excelente.

Quer saber mais sobre como é a vida na Espanha? Confira aqui.

Onde vale mais a pena morar e o que se deve levar em consideração?

A resposta para essa questão é muito subjetiva e, portanto, depende dos objetivos e interesses pessoais. Se você pretende trabalhar na Espanha, pode ser mais interessante estar em alguma grande cidade. Se esse não for seu caso, as opções se ampliam e você pode curtir uma cidade mais calma e barata.

É importante destacar que para alugar um apartamento, normalmente os proprietários e as corretoras exigem que a pessoa apresente contracheques (nóminas), comprovante de rendimentos, etc. Se você ainda não trabalha na Espanha, esteja com a documentação do Brasil pronta, busque as ofertas de particulares e tente negociar.

É comum que também seja exigido o pagamento de um a três meses de fiança. Por isso, muitos optam por começar alugando um quarto. Mas, não descarte até comprar um imóvel, você pode se surpreender com preços acessíveis e linhas de crédito. As hipotecas imobiliárias podem ser bem baratas.

Qual é o custo de vida na Espanha?

O salário mínimo na Espanha, no ano de 2020, é de 950 euros. Mas, se você gosta do 13o do Brasil, aqui pode receber até o 14o. Dessa forma, o valor mínimo anual seria de 13.300,00 euros, o que é excelente quando comparado a outros países europeus.

Claro que há economias mais desenvolvidas como a alemã e a francesa, mas a Espanha está muito bem colocada a nível europeu. E aqui ainda é possível ter um custo de vida baixo. Já vimos que um aluguel pode variar bastante dependendo da região e do tipo de alojamento. Enquanto em Madrid e Barcelona você pode ter de desembolsar pelo menos mil euros, pelo mesmo valor viveria numa casa bem grande num pueblo.

Notas de Euro

Muitos também optam por alugar só um quarto, podendo economizar com as faturas de luz, água, gás, etc. Essas contas também dependerão da região, podendo ser cobradas de dois em dois meses. O valor médio pode ser em torno de 100 euros por mês, enquanto um plano de internet a cabo seria ao redor de 30 euros. E planos de saúde podem ser baratos também.

De qualquer forma, o serviço público de saúde é excelente. Leia aqui esse artigo sobre o tema.

Gastos médios com alimentação e vestimenta

Uma compra quinzenal de mercado para um casal, dependendo das escolhas pessoais, pode ser entre 50 e 100 euros.

E olha que você poderá até se esbaldar, comprando itens que são caríssimos no Brasil, como queijos e frios premiados, vinhos de categoria superior, etc. Além disso, há muitas frutas e verduras da estação que poderão ser compradas por preços baixos também. Uma dica é buscar as feiras locais, onde você comprar produtos frescos, de qualidade e a um excelente preço.

Comer fora pode ser caro, sobretudo nas grandes cidades como Madrid e Barcelona, mas na região da Andaluzia e da Galícia os preços são muito mais reduzidos e há mais fartura. Com certeza, você ficaria satisfeito com as porções servidas nas Astúrias, região ao norte também. Enquanto um cachopo por lá alimenta muito bem e mais de uma pessoa, as porções em Madrid podem ser decepcionantes.

De qualquer forma, faz parte da cultura espanhola ir com os amigos de bar em bar e apreciar uma boa caña (cerveja) ou uma copa de vinho, enquanto pica umas azeitonas. Dependo do local, a tapa (pequena porção de algum petisco) é cortesia da casa se você pedir uma bebida.

Em relação à compra de roupas, não precisa se esforçar em trazer malas cheias do Brasil. Aqui há roupas bem baratas, ainda mais nas chamadas rebajas, que são as promoções ou liquidações na Espanha nas trocas de estação.

Em linhas gerais, é possível observar que o custo de vida na Espanha acompanha o valor de um salário mínimo.

Custo de vida na Espanha: Conclusão

Pronto! Agora você já tem uma ideia do custo de vida na Espanha, da média de aluguel no país e de demais questões relevantes para sua mudança. Estamos aqui para ajudar você a se planejar.

É importante lembrar que, se não possui nacionalidade europeia, você precisará de um visto. Por isso escrevemos esse artigo também, sobre os principais vistos e como solicitar. Mas, será que você tem direito à nacionalidade espanhola?

Com dois anos de residência legal na Espanha, mesmo sem ascendência espanhola, você já poderia ter e essa é uma grande vantagem de residir nesse país europeu. Confira aqui mais sobre aquisição de nacionalidade espanhola e aqui sobre possíveis vistos.

POSTS RELACIONADOS

Morar

Retomada da economia na Espanha pós pandemia

04/11/2021
Visitar

Ilhas Espanholas

03/11/2021
Morar

Vistos para morar em Barcelona

02/11/2021